Obama pede que republicanos aprovem logo pacote econômico

Washington, 5 fev (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pediu aos republicanos do Senado que aprovem imediatamente o plano de estímulo econômico, avaliado em US$ 900 bilhões, em artigo publicado hoje no diário The Washington Post.

EFE |

"Podemos pôr as boas ideias acima das velhas batalhas ideológicas, e a dedicação acima do fechado partidarismo de sempre", afirma Obama no texto.

O presidente lamentou que "nos últimos dias tenha havido críticas equivocadas contra o pacote", que segundo ele reproduzem as teorias fracassadas que levaram o país à crise.

"Eu rejeito essas teorias, assim como fez o povo americano ao ir às urnas em novembro e votar contundentemente pela mudança", afirmou.

"A cada dia, nossa economia fica mais doente, e o momento de encontrar um remédio que dê emprego aos americanos, alavanque nossa economia e promova o crescimento durável é agora", sustentou Obama.

Segundo o presidente, com o plano de estímulo "serão criados ou conservados mais de 3 milhões de postos de trabalho durante os próximos dois anos e se reduzirá imediatamente os impostos para 95% dos trabalhadores americanos".

Obama diz ainda que crescerão "as compras por parte das empresas e dos consumidores" e se dará "novos passos para fortalecer o país durante muitos anos".

Em um claro alerta aos republicanos do Senado, que se opõem ao plano, Obama disse que essas são as ações que os americanos esperam que sejam tomadas sem demora.

O povo "não tem paciência perante o impasse partidário de sempre que bloqueia a ação enquanto a economia segue piorando", argumenta o presidente no artigo.

Os republicanos são minoria no Senado, mas segundo o regulamento da Câmara Alta, têm a capacidade de bloquear a aprovação do plano mediante o prolongamento indefinido do debate. EFE wm/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG