Obama pede que Armênia e Turquia resolvam polêmica sobre massacre

Istambul, 6 abr (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, se reuniu hoje com os ministros de Exteriores armênio e turco, durante seu comparecimento a uma recepção de participantes do 2º Fórum da Aliança de Civilizações, para pedir a ambos que resolvam a disputa bilateral sobre os massacres de armênios em 1915.

EFE |

A reunião com o turco Ali Babacan e o armênio Eduard Nalbandian ocorreu na presença da ministra de Exteriores suíça, Micheline Calmy-Rey, informou a Casa Branca.

Um alto funcionário, que não quis ser identificado, falou que Obama, que chegou hoje a Istambul procedente de Ancara, "pediu a ambos para alcançarem um acordo o mais rápido possível".

A conversa aconteceu depois que, em discurso ao Parlamento turco em Ancara, Obama pediu à Turquia e à Armênia para resolver, de forma "pacífica, honesta e construtiva", o conflito entre os países pelos massacres de armênios, que a última nação qualifica de genocídio, o que Ancara nega taxativamente.

Obama, que, em 2008, expressou sua convicção de que os turcos cometeram massacres sistemáticos de armênios nesse caso, disse em seu discurso no Parlamento turco que "houve muitos comentários sobre minhas opiniões, mas o que realmente importa é como os povos turco e armênio enfrentam o passado".

"A melhor maneira de avançar é um processo que combata o passado de maneira honesta aberta e construtiva", disse Obama, que destacou os passos "encorajadores e históricos" adotados pelas autoridades dos dois países.

Os EUA "apoiam firmemente a completa normalização das relações entre Turquia e Armênia", afirmou Obama, que recomendou também a abertura da fronteira comum, fechada atualmente, o que dificulta a entrada de mercadorias ao último país. EFE mv/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG