Obama pede mais US$ 200 mi para ajuda a deslocados no Paquistão

Islamabad, 3 jun (EFE).- O enviado especial dos Estados Unidos para Paquistão e Afeganistão, Richard Holbrooke, revelou hoje em Islamabad que o presidente americano, Barack Obama, pediu ao Congresso uma ajuda adicional de US$ 200 milhões para os 2,4 milhões de deslocados pela operação militar contra os talibãs.

EFE |

Holbrooke deu tal informação em entrevista coletiva concedida junto ao presidente paquistanês, Asif Ali Zardari.

O enviado de Obama, que chegou hoje à capital paquistanesa, lembrou que, se o Congresso dos EUA aprovar este pedido, Washington destinará no total "mais de US$ 300 milhões" para a assistência aos civis que abandonaram seus lares no norte do Paquistão, onde o Exército lançou uma ofensiva em grande escala contra os talibãs.

Holbrooke reiterou que os EUA estão "comprometidos a ajudar o Paquistão e a fortalecer sua democracia para conseguir a estabilidade na região", e pediu para que a comunidade internacional doe mais fundos a Islamabad.

"Todos os que querem um Paquistão democrático e estável devem se unir aos EUA", insistiu.

A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, já tinha anunciado no último dia 19 a alocação de US$ 110 milhões para os deslocados.

Diante da magnitude do êxodo civil no Paquistão, a ONU fez recentemente um pedido coletivo de fundos para o país, mas a ajuda solicitada ainda está longe do objetivo de US$ 1 bilhão fixado pelo Governo paquistanês.

Zardari declarou que, para ganhar a guerra, "é preciso conquistar as mentes e os corações" dos cidadãos e insistiu na sinceridade do Paquistão em sua luta contra a insurgência talibã.

"Defenderemos nossa pátria contra toda ameaça", afirmou.

Em seus informes diários sobre a operação militar, o Exército paquistanês não oferece números sobre vítimas civis. EFE igb/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG