Washington, 19 jun (EFE).- O virtual candidato democrata à Presidência dos Estados Unidos, Barack Obama, pediu hoje desculpas a duas mulheres que foram impedidas de ocupar um lugar no palanque no qual discursava por vestirem lenços muçulmanos.

O incidente ocorreu na segunda-feira passada, em Detroit (Michigan), quando voluntários da campanha impediram que Shimaa Abdelfadeel e Hebba Aref ocupassem um lugar no palanque no qual podiam ser captadas pelas câmeras de televisão.

Em declaração emitida em Chicago, Obama informou hoje que havia entrado em contato com ambas as mulheres.

"Falei com a senhora Abdelfadeel e lhe manifestei minhas mais sinceras desculpas pelo incidente", disse o senador pelo estado de Illinois.

Ele acrescentou que as medidas tomadas pelos voluntários "são inaceitáveis e de nenhuma forma refletem a política de sua campanha".

"Me sinto sumamente ofendido por essas ações, e continuarei lutando contra a discriminação de pessoas de qualquer origem ou grupo religioso", manifestou Obama.

A campanha de Obama, que é cristão, desmentiu em várias ocasiões o boato de que o senador seja muçulmano. EFE ojl/gs

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.