Obama pede ação pela economia e diz que emprego será prioridade em 2010

Em seu primeiro discurso do Estado da União, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pediu que o Congresso americano atue para recuperar a economia e aprove uma lei sobre criação de vagas de trabalho. O emprego deve ser nosso objetivo número um em 2010, afirmou.

iG São Paulo |

AFP
Obama chega ao Congresso para discurso crucial

Obama chega ao Congresso para discurso crucial

Cerca de dois terços do tradicional discurso, feito em uma sessão conjunta do Congresso, foi dedicado à economia. Obama falou sobre investimentos e decisões tomadas em 2009, além de apresentar projetos para 2010.

Uma de suas propostas para impulsionar a criação de empregos é ajudar pequenas empresas com os US$ 30 milhões que os grandes bancos americanos já devolveram ao governo, após receberem dinheiro federal como parte do plano de resgate de 2009.

Obama também propôs cortes de impostos para pequenas empresas que contratem funcionários ou aumentarem salários, e disse que a administração identificou US$ 20 bilhões de gastos do orçamento que poderão ser cortados no próximo ano fiscal, o de 2011.

"Como toda família nós trabalharemos com um orçamento para investir no que precisamos, então sacrificaremos o que não precisamos", disse Obama. "Se eu tiver que forçar essa disciplina pelo veto , eu o farei".

AFP
Obama fala no Congresso
Obama fala no Congresso
Política externa

Durante o discurso, Obama afirmou que em 2009 o governo conseguiu avanços na política externa, prendendo um grande número de terroristas ligados à Al-Qaeda e dando início à retirada das tropas do Iraque. Como candidato, eu prometi que ia acabar com essa guerra, e é o que estou fazendo como presidente, afirmou, acrescentando que os EUA continuarão apoiando o governo e a população iraquiana.

Ainda na área de política externa, ele defendeu os esforços feitos junto à Rússia para reduzir os arsenais nucleares dos dois países, e afirmou que nações que representam ameaças, como a Coreia do Norte e o Irã, estão cada vez mais isoladas.

Se os líderes iranianos continuarem ignorando suas obrigações, verão consequências, afirmou Obama, fazendo referência ao endurecimento das sanções impostas ao país. Isso é uma promessa.

Reforma da saúde

O presidente americano também pediu que os congressistas aprovem a reforma da saúde, pois milhões vão perder seu convênio médico esse ano como consequência da crise econômica.

Eu não vou dar as costas a esses americanos e os membros do Congresso também não devem fazer isso, afirmou Obama. Não deem as costas para a reforma. Não agora, que estamos tão perto.

Obama pediu que tanto republicanos quanto democratas voltem a olhar sua proposta para o setor. Se algum de vocês, de qualquer partido, tiver ideias melhores, falem comigo, afirmou.

AFP
Homem assiste discurso de Obama

Homem assiste discurso de Obama

União entre partidos

O discurso de Obama foi marcado por um forte apelo para que os congressistas republicanos e democratas trabalhem juntos. O que deixa o povo americano frustrado é a sensação de que, em Washington, todo dia é dia de eleição, afirmou. Precisamos reconhecer que, neste momento, enfrentamos mais do que um deficit de dólares: enfrentamos um deficit de confiança.

Segundo Obama, a perda de confiança em instituições como a imprensa, as grandes corporações e o próprio governo, causa decepção entre os americanos.

Ele citou, inclusive, a frustração em relação à sua administração, e lembrou seu slogan de campanha: mudança na qual podemos acreditar. Sei que muitos já não têm tanta certeza de que a mudança é possível ou de que eu posso trazê-la, afirmou. Mas eu nunca disse que a mudança ia ser fácil ou que eu ia trazê-la sozinho.

Segundo Obama, as dificuldades políticas que sua administração sofreu em 2009 não são comparáveis às dificuldades das famílias americanas. E o que me faz seguir em frente, o que me faz seguir lutando, é que apesar de todas as dificuldades o espírito de determinação e otimismo do povo americano ainda vive, afirmou.

O presidente encerrou seu primeiro discurso do Estado da União em tom otimista. Terminamos um ano e uma década difíceis, mas um novo ano e uma nova década estão começando, afirmou. Nós não desistimos. Eu não desisto. Vamos aproveitar esse momento para começar de novo, levar o sonho adiante e fortalecer nosso país outra vez.

Leia mais sobre Barack Obama

    Leia tudo sobre: euaobama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG