nova geração enfrentar os desafios do planeta - Mundo - iG" /

Obama pede a uma nova geração enfrentar os desafios do planeta

O candidato democrata à Casa Branca, Barack Obama, fez um apelo hoje a uma nova geração de europeus e de americanos a se unirem para pôr abaixo os muros entre aliados, entre raças e religiões e enfrentarem, em conjunto, os desafios do planeta.

AFP |

"Povo de Berlim, povos do mundo, chegou a nossa hora", declarou o senador a multidão entusiasta, estimada em 200 mil, aglomerada aos pés da Coluna da Vitória, no centro de Berlim.

"Uma nova geração, nossa geração, deve deixar sua marca na história". Face ao terrorismo, ao aquecimento climático, à droga, à proliferação nuclear, "não podemos nos permitir estarmos divididos".

"O século XXI está aberto para um mundo mais interdependente como jamais se viu na história humana". "Mas essa aproximação acarretou novos perigos que não podem mais ser represados por fronteiras ou oceanos", prosseguiu. "Nenhuma nação, tão grande e tão poderosa que seja, pode enfrentar sozinha os desafios", observou Obama, num discurso sem precedentes de um candidato à presidência dos Estados Unidos.

"A America não tem melhor aliado que a Europa", afirmou o candidato drmocrata. Mas "um verdadeira parceria exige um trabalho constante e sacrifícios... aliados que sabem ouvir, aprender uns com os outros e, sobretudo, a ter confiança".

Pediu aos europeus prosseguirem seu compromisso no Afeganistão. "Pelo povo do Afeganistão, e por nossa segurança comum, é preciso terminar o trabalho", disse.

"A América não pode fazer sozinha. O povo afegão precisa de nossas tropas e das de vocês; de nosso apoio e do de vocês para vencer os talibãs e a Al-Qaeda, para desenvolver sua economia e para ajudar a reconstruir seu país. O que está em jogo é muito importante para renunciarmos agora", insistiu.

Evocando a queda do Muro de Berlim em 1989, pediu para que sejam derrubados outros muros.

"Os muros entre os aliados de longa data, de uma parte e de outra do Atlântico, não podem ficar de pé. Os muros entre os países mais ricos e os mais pobres não podem ficar de pé. Os muros entre as raças e as tribos, entre indígenas e imigrantes, entre cristãos, muçulmanos e judeus não podem ficar de pé".

Após o discurso, interrompido por aplausos e gritos "Yes we can" ("sim, nós podemos"), seu slogan de campanha, Obama misturou-se durante cinco minutos à multidão, que corria para apertar-lhe a mão e fotografá-lo.

col-pmr/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG