Obama pede a Bush para não submeter à votação acordo comercial com C. do Sul

Washington, 23 mai (EFE).- O aspirante democrata à Presidência dos Estados Unidos Barack Obama enviou hoje uma carta ao presidente George W.

EFE |

Bush, na qual pede a ele que não submeta a votação no Congresso um "muito deficiente" acordo comercial com a Coréia do Sul.

"Em lugar de provocar um confronto desnecessário sobre este acordo, sua administração deveria fazer uma contribuição significativa para o restabelecimento da confiança com o Congresso e o reatamento da cooperação bipartidária em matéria comercial ao reter este acordo", escreveu o senador democrata.

O escritório de Obama no Senado divulgou hoje a carta, datada na quinta-feira, pouco depois que Bush defendeu de novo a aprovação dos Tratados de Livre-Comércio (TLC) com Colômbia, Coréia do Sul e Panamá antes de terminar o ano.

A carta de Obama se soma a uma similar assinada esta semana por sua rival na corrida pela candidatura de seu partido para a Presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton, e outros nove democratas que rejeitam o TLC com a Coréia do Sul.

"Como muitos outros membros do Congresso, me oponho ao TLC com a Coréia, o qual acho é muito deficiente. Em particular, os termos do acordo se afastam demais do objetivo de garantir o acesso efetivo ao mercado para as exportações americanas de bens manufaturados e de muitos produtos agrícolas", disse Obama.

Neste sentido, se referiu aos artigos que regem o comércio para o setor automobilístico americano com a Coréia do Sul.

"A aprovação deste acordo como está negociado daria às exportações coreanas acesso sem restrições ao mercado americano e eliminaria nossa melhor oportunidade para obter real acesso recíproco a uma das maiores economias do mundo", concluiu o senador por Illinois. EFE cae/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG