Por Patricia Zengerle

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos EUA, Barack Obama, sondou senadores republicanos na quarta-feira a respeito de candidatos a juiz da Suprema Corte, e foi alertado que a sabatina de confirmação será dura se ele indicar um liberal assumido.

Por Patricia Zengerle

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos EUA, Barack Obama, sondou senadores republicanos na quarta-feira a respeito de candidatos a juiz da Suprema Corte, e foi alertado que a sabatina de confirmação será dura se ele indicar um liberal assumido.

Fontes do governo dizem que Obama deve anunciar sua escolha já nesta semana. Obama recebeu na Casa Branca dois membros republicanos da Comissão de Justiça do Senado, Orrin Hatch e Jon Kyl.

Ao sair do encontro, Hatch alertou Obama a não escolher um juiz que prefira seguir suas próprias opiniões, em vez do que manda a Constituição. "Um ativista judicial seria uma escolha ruim e desnecessariamente divisora a qualquer momento", disse Hatch em nota.

"Após um debate altamente contencioso acerca da saúde, é mais importante do que nunca que o presidente escolha alguém que irá obter apoio maciço do povo norte-americano e do Senado dos Estados Unidos", disse ele, referindo-se à reforma da saúde, aprovada neste ano sem os votos republicanos no Senado.

Obama e seu vice, Joe Biden, se reuniram na terça-feira com a juíza Diane Wood, que está entre os mais liberais dos possíveis candidatos.

Obama deve indicar em breve um substituto para o juiz John Paul Stevens, que está se aposentando. A escolha coincide com um ano eleitoral, em que o seu Partido Democrata tentará em novembro manter sua maioria no Congresso.

Funcionários da Casa Branca anteveem uma sabatina de confirmação difícil no Senado, independentemente de quem seja o indicado, e mesmo que essa indicação não vá alterar o equilíbrio ideológico da Corte, onde há cinco conservadores e quatro liberais.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.