O presidente americano Barack Obama ordenou uma revisão dos procedimentos de segurança aplicados para identificar potenciais terroristas e impedir que subam com explosivos em aviões de passageiros, anunciou o porta-voz Robert Gibbs em entrevista ao canal ABC.

"O presidente solicitou dois reexames dos procedimentos, que já têm vários anos", declarou Gibbs, dois depois da tentativa frustrada de atentado contra um avião da Northwest Airlines que fazia a viagem entre Amsterdã e Detroit.

"Se trata em primeiro lugar de nossos procedimentos de listas de vigilância", disse, a respeito da base de dados com 550.000 nomes e suas subdivisões, que classificam o grau de periculosidade dos potenciais suspeitos.

"Como podemos revisar os sistemas no futuro assegurando que nenhuma informação esteja bloqueada em alguma parte?", completou.

"Em segundo lugar, o presidente fez ao Departamento de Segurança Interna a pergunta muito concreta de saber como alguém com uma coisa tão perigosa como a 'pentrita' conseguiu subir em um avião em Amsterdã", acrescentou o porta-voz da Casa Branca.

Gibbs recordou que 4.000 pessoas estão proibidas de viajar aos Estados Unidos, e que outras 13.000 devem passar obrigatoriamente por controles reforçados.

Um alto funcionário do governo americano informou no sábado à AFP que Umar Faruk Abdulmutallab, indiciado pela tentativa de atentado no voo 253, não estava em nenhuma das duas listas.

cs/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.