Obama nomeia governadora do Kansas como secretária de Saúde

Washington, 2 mar (EFE).- Barack Obama, nomeou hoje como secretária de Saúde a governadora do Kansas, Kathleen Sebelius, que terá a responsabilidade de comandar uma reforma descrita pelo presidente americano como um imperativo moral e fiscal.

EFE |

A governadora, de 60 anos, estará à frente dos esforços para melhorar um sistema que deixa sem cobertura cerca de 46 milhões de pessoas no país e cujos custos não param de aumentar.

"Solucionar o que não funciona bem em nosso sistema de saúde já não é só um imperativo moral, mas um imperativo fiscal", disse hoje Obama ao anunciar a nomeação de Sebelius.

"Uma reforma que reduza os custos enquanto amplia a cobertura não já é um sonho que sonhamos em alcançar, mas uma necessidade", acrescentou.

Ele ressaltou que as tarifas de saúde aumentaram quatro vezes mais rápido que os salários dos trabalhadores americanos nos últimos oito anos e lembrou que a verba desta área é uma das despesas do Governo federal que mais aumentam.

Sebelius destacou, por sua vez, que a campanha eleitoral de Obama foi "a campanha da mudança" e insistiu em que em nenhuma outra área a mudança é tão importante.

A governadora do Kansas comandará um departamento com mais de 65 mil empregados incluindo a Agência de Alimentos e Remédios e os Centros para Controle e Prevenção de Doenças.

A essas agências se somam os serviços Medicare e Medicaid, que oferecem cobertura aos aposentados e às pessoas de baixa renda, cerca de 90 milhões de americanos e consomem grande parte do orçamento do departamento, que os US$ 700 bilhões.

Sebelius foi, de qualquer forma, a segunda opção de Obama. O candidato inicial da Casa Branca foi o ex-senador Tom Daschle, que se viu forçado a renunciar por não te pagado impostos.

Na quinta-feira, ela já terá como compromisso uma cúpula bipartidária sobre saúde na Casa Branca, da qual participarão funcionários públicos, legisladores e representantes da indústria para falar sobre a reforma do sistema de saúde.

Além de Sebelius, a Casa Branca anunciou a nomeação de Nancy-Ann de Parle como conselheira do presidente em temas de saúde e diretora do escritório da Casa Branca sobre a reforma.

Obama havia cogitado concentrar os dois postos com Daschle, mas decidiu dividir as funções após a renúncia do ex-senador.

A Casa Branca anunciou na semana passada durante a apresentação dos orçamentos para o ano fiscal de 2010 a criação de um fundo de US$ 634 bilhões que se destinaria à reforma do sistema de saúde pública nos próximos 10 anos.

Os analistas calculam que o esforço poderia custar mais de US$ 1 trilhão, cujo gasto pode provocar duras discussões no Congresso.

Sebelius referiu-se à cobertura universal infantil como "o primeiro passo da reforma de nosso sistema de saúde".

Nascida em uma família de políticos -seu pai foi governador de Ohio- Sebelius ocupa seu segundo mandato como governadora, cargo no qual ganhou fama de moderada.

Ela também foi comissária estatal de seguros, supervisionando a regulação das companhias que oferecem planos de saúde.

Entre os assuntos polêmicos de sua carreira, figura sua decisão de vetar uma legislação que teria obrigado as clínicas que fazem abortos a indicar os motivos para as interrupções tardias da gravidez.

Essa decisão levou o arcebispo do Kansas, Joseph Naumann, a dizer que ela deveria ser impedida de comungar.

Grupos antiabortistas do país anunciaram que se oporão a sua nomeação como secretária de Saúde.

Sebelius é católica e diz se opor pessoalmente ao aborto, mas respeitar o direito da mulher de decidir o que fazer nessa situação.

EFE tb/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG