Obama nomeia general como enviado especial para o Sudão

Washington, 18 mar (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, nomeou o general Scott Gration como enviado especial para o Sudão, informou hoje a Casa Branca, num indício que de Washington pretende se envolver mais nesse conflito.

EFE |

Em comunicado, Obama disse que o Sudão "é uma prioridade para este Governo" e que o agravamento da situação humanitária "faz esta tarefa ainda mais urgente".

Gration, um amigo pessoal de Obama muito inteirado dos problemas do continente africano, "conhece a região, possui grande experiência e tem toda a confiança" do presidente, afirmou o próprio.

Sua nomeação "representa um firme sinal do compromisso da minha Administração em apoiar o povo do Sudão enquanto (este país) busca uma duradoura solução para a violência que acabou com tantas vidas inocentes", frisou Obama.

O governante americano reiterou seu compromisso de colaborar com a comunidade internacional para pôr fim à crise na região sudanesa de Darfur (oeste).

A solução para essa crise implica o "posicionamento da força de paz conjunta da União Africana (UA) e das Nações Unidas", assim como a negociação de um acordo que dê ao povo de Darfur uma "voz significativa nas decisões sobre seu futuro".

Os EUA continuarão dando sua colaboração para a aplicação completa do Acordo de Paz para o Sudão, e, segundo Obama, todas as partes devem cumpri-lo para que o país e a região ao seu redor "possam desfrutar de uma estabilidade duradoura".

O atual ocupante da Casa Branca também lançou uma dura crítica à "desastrosa decisão" de Cartum de expulsar as organizações humanitárias do país, o que, segundo disse, "deixa um vazio que será preenchido pela privação e a desesperança". EFE mv/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG