Obama nega ingerência russa em decisão sobre antimísseis

Washington, 20 set (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou que sua decisão de abandonar o projeto antimísseis do Governo Bush na Europa não se deveu à oposição da Rússia e disse que Moscou não determina a postura de Washington sobre defesa.

EFE |

Em entrevista ao canal "CBS", uma das cinco transmitidas hoje em que fala principalmente sobre reforma no setor de saúde, Obama defende a decisão de abandonar o projeto antimísseis e substituí-lo por um novo sistema de defesa.

"Minha tarefa aqui não foi negociar com os russos. Os russos não tomam as decisões sobre nossa postura de defesa", argumentou Obama, que insistiu que o novo sistema também não será uma ameaça para a Rússia.

O projeto, contido em um acordo assinado em agosto de 2008, ainda durante o mandato de George W. Bush, incluía o desdobramento de dez foguetes interceptadores em solo polonês e um sistema de radares na República Tcheca.

A decisão de abandonar o projeto incomodou a Polônia, que teria recebido em troca apoio e assistência militar.

A Rússia, porém, sempre sustentou que o projeto representava uma ameaça para a segurança nacional, apesar das garantias dadas por Bush.

Obama se reunirá com o presidente russo, Dmitri Medvedev, na próxima quarta-feira, nos EUA. EFE mp/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG