Obama nega guinada ao centro após eleição parlamentar

Em entrevista ao canal Fox News, presidente americano diz que continua sendo "o mesmo cara"

Reuters |

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, negou no domingo que tenha se deslocado para o centro do cenário político depois da derrota do seu Partido Democrata na eleição parlamentar de novembro. "Sou o mesmo cara", disse ele.

Analistas políticos dizem que Obama adotou posições mais centristas ao se preparar para tentar um novo mandato em 2012. Um exemplo disso seria o acordo com o Partido Republicano - agora majoritário na Câmara - para renovar benefícios tributários a todos os norte-americanos, inclusive os mais ricos.

Obama também se declarou mais disposto a ouvir seus adversários, e na semana passada se reuniu com o senador John McCain, seu adversário na eleição presidencial de 2008.

Mas, em entrevista ao comentarista conservador Bill O'Reilly, da Fox News, Obama negou que tenha havido uma guinada política. "Meu foco prático, meu foco no bom senso atualmente é em como podemos superar o resto do mundo em termos de inovação, educação, construção e competência", afirmou.

Tentando provar que não mudou de rumo, Obama disse: "Não aumentei impostos nem uma só vez, reduzi impostos nos últimos dois anos."

Obama disse também que a reforma da saúde, aprovada no ano passado no Congresso, acabará sendo aceita pela Suprema Corte, apesar de recentes decisões de instâncias inferiores - como de um juiz da Flórida - declarando a medida inconstitucional. "Acho que o juiz da Flórida estava errado. Tenha em mente que tivemos 12 juízes que simplesmente arquivaram esse processo, a noção de que a lei da saúde pública é inconstitucional", disse Obama.

Questionado sobre a pior coisa de ser presidente, Obama tinha uma resposta pronta, num dia em que se preparava para assistir ao Super Bowl (principal jogo da temporada do futebol americano) numa festa na Casa Branca, em meio a convidados como a atriz Jennifer Lopez.

"A pior parte do emprego, acima de tudo, é estar de paletó no domingo do Super Bowl", disse Obama. E o maior problema, segundo ele, é a "bolha" que o cerca na Casa Branca. "Com o tempo você sente que não é mais capaz de simplesmente ter uma conversa espontânea com as pessoas", disse ele.

Obama afirmou que "sem dúvida o peso do cargo tem um impacto" sobre ele, mas afirmou gostar do emprego de presidente. "Quanto mais fico no cargo, mais eu gosto, mais otimista eu fico com o povo americano, e mais otimista eu fico com este país", disse ele.

    Leia tudo sobre: obamaeleições parlamentareseuarepublicanosdemocratas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG