Berlim, 27 mar (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, não fez um pedido à chanceler alemã, Angela Merkel, para que reforce o contingente da Alemanha no Afeganistão, informou hoje o porta-voz do Governo alemão, Ulrich Wilhelm.

Na videoconferência mantida nesta quinta-feira à noite entre Obama e Merkel, de cerca de 40 minutos de duração e centrada nas próximas cúpulas do Grupo dos Vinte (G20, países ricos e principais emergentes) e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), não houve nenhum "pedido concreto" nesse sentido, disse Wilhelm.

Na conversa, a chanceler alemã e o presidente dos Estados Unidos abordaram fundamentalmente os preparativos desses encontros, que centrarão a agenda política da primeira viagem de Obama como presidente pela Europa.

Obama apresentará hoje um plano estratégico para o Afeganistão, que incluirá o envio de 4 mil soldados adicionais.

A Alemanha tem, com 3,6 mil soldados, o terceiro maior contingente entre as tropas internacionais no Afeganistão, depois dos EUA e do Reino Unido.

A chanceler insistiu ontem mesmo, em discurso no Bundestag (Câmara Baixa do Parlamento alemão), que a Alemanha tinha tido uma "contribuição mais que destacável" à missão internacional nesse país.

O novo contingente de 4 mil soldados que Obama deve enviar ao Afeganistão se somaria aos 17 mil soldados adicionais que já anunciou em fevereiro, e que chegarão durante os próximos meses para reforçar os cerca de 36 mil militares americanos que se encontram no país asiático. EFE gc-mv/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.