Obama minimiza ataques republicanos

Por Ellen Wulfhorst YORK, Estados Unidos (Reuters) - O candidato democrata à Casa Branca, Barack Obama, minimizou na quinta-feira as críticas que sofreu na convenção republicana, dizendo já ter ouvido coisas piores numa quadra de basquete.

Reuters |

Em visita a uma fábrica de equipamentos hidroelétricos em York (Pensilvânia), Obama disse a jornalistas que os republicanos o atacam porque não têm idéias ou planos concretos para melhorar a vida do norte-americano comum.

'Eles passaram duas noites inteiras me atacando ou exaltando a biografia [do candidato republicano] John McCain, o que está bem', disse Obama. 'Eles podem usar seu tempo de convenção da forma que quiserem, mas não se pode esperar que eu me surpreenda com os ataques dos republicanos.'

Em seu discurso de quarta-feira, a candidata republicana a vice-presidente, Sarah Palin, ironizou a formação, a carreira, a atuação parlamentar, as propostas, a oratória e a popularidade de Obama. 'O que ele realmente pretende realizar depois que tiver terminado de reverter as águas e curar o planeta?', disse ela.

O ex-prefeito de Nova York Rudolph Giuliani, que também discursou na quarta-feira, acusou Obama de instabilidade nas suas posições. 'Se eu fosse Joe Biden, ia querer esse negócio [a indicação] de vice-presidente por escrito', brincou.

Obama disse que esses ataques 'não são grande coisa'. 'Já me chamaram de coisas piores na quadra de basquete', afirmou.

Questionado sobre o que exatamente ele ouviu no esporte, o senador riu e desconversou: 'Vocês teriam de colocar um 'bip' por cima'.

Uma repórter também perguntou se Obama achava machista o tratamento dado pela mídia a Palin, que é governadora do Alasca.

'Pressuponho que ela quer ser tratada da mesma forma como os caras querem ser tratados, o que significa que seus históricos estão sob escrutínio. Estou sob isso há 19 meses.

Ela está, o quê, há quatro dias até agora?', disse.

Palin é a primeira mulher indicada pelo Partido Republicano para uma chapa presidencial.

(Tradução Redação São Paulo; 5511 56447759))

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG