Obama mantém vantagem sobre McCain nos estados-chave

O candidato democrata, Barack Obama, voltou a confirmar nesta quarta-feira a sólida vantagem na maioria dos estados que decidirão as eleições presidenciais americanas, segundo pesquisas e analistas, que ressaltam que ao rival republicano John McCain faltam tempo e recursos.

AFP |

Obama tem uma vantagem de 52% a 45% sobre McCain, de acordo com a pesquisa diária do jornal Washington Post e do canal ABC.

O percentual de eleitores que admitem mudar de opinião permanece em queda: de 13% de indecisos registrados há uma semana o índice passou a 11%.

Nos estados de Ohio, Pensilvânia e Flórida, chaves para chegar à Casa Branca pela disputa acirrada, Obama não cede terreno, mas a vantagem varia de acordo com as pesquisas.

Em Ohio, Obama venceria McCain por 51% a 42%, enquanto na Pensilvânia a vantagem seria ainda maior, 53% a 41%, segundo uma pesquisa da Universidade de Quinnipiac.

"A seis dias das eleições, Barack Obama parece resistir aos esforços tardios e curtos de John McCain em Ohio e Pensilvânia, mas a vantagem de dois pontos do democrata entre os eleitores na Flórida deixa este estado no ar", afirmaram os coordenadores da pesquisa.

"Ninguém foi eleito presidente desde 1960 sem ganhar em dois destes três estados", alertaram.

Na Flórida, a diferença é de apenas dois pontos a favor do senador democrata, 47% a 45%, de acordo com a sondagem realizada nos três estados chave entre os dias 22 e 26 de outubro.

"Se Barack Obama levar a Flórida, pode alcançar ou ficar perto da margem da reeleição do presidente Bill Clinton em 1996", acrescentam os coordenadores da pesquisa.

A Flórida, com a numerosa colônia de imigrantes latinos e aposentados provenientes de todo o país, voltará a reunir Obama e McCain nesta quarta-feira. Os dois fazem campanha nos mesmos estados nos últimos dias para tentar convencer os indecisos.

Impostos, planos para melhorar a Previdência Social, a atitude do presidente em caso de crise de segurança internacional: os temas são repetidos constantemente pelos candidatos aos eleitores.

Na Flórida, um estado dominado pelo voto hispânico, McCain mantém a popularidade entre os eleitores que se consideram brancos: 53% afirmam que votariam nele, contra 40% das intenções de voto deste grupo para Obama.

No entanto, de acordo com os especialistas de Quinnipiac, a votação antecipada dos democratas na Flórida é quase 10 pontos superior a dos republicanos.

Os resultados das pesquisas, no entanto, continuam sendo díspares. Para o jornal Los Angeles Times, Obama venceria por sete pontos de vantagem na Flórida.

Porém, as piores notícias podem estar por chegar para McCain. Em seu próprio estado, Arizona, o republicano supera Obama por 46% a 44%, segundo o jornal Arizona Republic. Há um mês a vantagem era de sete pontos.

O veterano republicano (72 anos) também precisa lutar no estado conservador de Nevada, onde uma pesquisa da Suffolk University dá a Obama uma vantagem de 10 pontos (50% contra 40%).

Obama exibirá nesta quarta-feira um anúncio de 30 minutos em horário nobre da televisão, antes da quinta partida da final da Liga Americana de Beisebol, entre Tampa Bay Rays e Philadelphia Phillies, que está empatada em 2-2.

O senador democrata, 47 anos, gastará entre dois e cinco milhões de dólares com a propaganda. Isto dá uma idéia do grande poder de arrecadação de fundos do democrata, o que pode acabar dando dor de cabeça ao senador de Chicago.

A maioria dos fundos de Obama é procedente da internet, por meio de centenas de milhares de pequenas doações anônimas, denunciaram os republicanos, que pediram às autoridades eleitorais uma investigação do caso.

Dos US$ 150 milhões arrecadados pela campanha democrata em setembro, 100 milhões vieram da internet, admitiu o partido. Os republicanos afirmam que muitas doações foram procedentes do exterior.

jz/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG