Obama lança anúncio de 30 minutos em horário nobre

Washington, 29 out (EFE).- O candidato democrata à Casa Branca, Barack Obama, tomará hoje os televisores americanos com uma reportagem publicitária de meia hora, transmitida em horário nobre, e na qual foram gastos milhões de dólares.

EFE |

O anúncio, que coincide com o 79º aniversário da terça-feira negra em Wall Street, que desencadeou a Grande Depressão dos anos 30, intercala imagens de Obama com declarações de cidadãos sobre a situação econômica.

Larry Berman, professor da Universidade da Califórnia e autor de vários de livros sobre a Presidência dos EUA, espera que o de hoje seja uma mensagem "positiva" que reflita as dificuldades atuais e insista na possibilidade de um futuro melhor.

"Acho que terá o mesmo tom positivo do famoso anúncio do presidente Ronald Reagan", disse à Agência Efe Berman, que antecipa que Obama destacará a idéia que sua Presidência marcaria um novo e promissor começo em um país imerso em uma crise econômica e com duas guerras abertas.

Está prevista também uma conexão ao vivo durante a reportagem com Obama, que participará em um comício na Flórida com o ex-presidente Bill Clinton e que também aparecerá esta noite no programa de humor "Comedy Central".

O anúncio será transmitido em três das quatro cadeias de televisão em aberto, "CBS", "NBC" e "Fox", assim como no canal a cabo "MSNBC", a rede em espanhol "Univisión" e dois canais orientados a uma audiência afro-americana: "BET" e "TV One".

O Campaign Media Analysis Group, um centro que analisa a publicidade eleitoral, calcula que o custo do espaço pode rondar os US$ 5 milhões, enquanto o diário "USA Today" fala em US$ 3 milhões.

Para Dianne Bystrom, professora da Universidade de Iowa, este "último e chamativo" esforço midiático por parte da campanha de Obama não faz mais que demonstrar sua "superioridade financeira".

"Mostra que ele ainda tem dinheiro para gastar", comentou à Efe Bystrom, que frisou ainda que a reportagem pode ajudar a convencer alguns indecisos e a mobilizar todos os eleitores, entre eles muitos jovens, de que Obama é o melhor candidato.

Com grande habilidade para arrecadar pequenas doações através da internet, o democrata está no caminho de gastar US$ 250 milhões em publicidade desde que assegurou a candidatura em junho, o que supera o ritmo de despesa publicitária de empresas como McDonald's e Wal-Mart.

O número supera os US$ 188 milhões que o atual presidente, George W. Bush, gastou em sua reeleição em 2004.

A despesa publicitária de McCain é muito inferior tanto em nível nacional como em alguns stados-chave.

A agência de medição de audiências Nielsen assinala, por exemplo, que o número de anúncios de Obama em Colorado, Flórida, Geórgia, Missouri, Ohio, Pensilvânia e Virgínia é 150% ao de McCain.

O republicano tentará enfrentar parte do protagonismo de adversário esta noite, com uma entrevista para o renomado apresentador da "CNN" Larry King. EFE tb/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG