Obama lamenta a morte de Ted Kennedy e mundo homenageia democrata

O presidente americano, Barack Obama, e sua esposa Michelle se declararam inconsoláveis com a morte do senador democrata Ted Kennedy, aos 77 anos, que também foi homenageado por vários líderes mundiais nesta quarta-feira.

AFP |

"Michelle e eu ficamos inconsoláveis quando soubemos esta manhã da morte de nosso querido amigo, o senador Ted Kennedy", afirmou o presidente, que está de férias no balneário de Martha's Vineyard, no estado de Massachusetts.

"Acabou um importante capítulo de nossa história. Nosso país perdeu um grande líder, que recuperou a tocha de seus irmãos falecidos e se transformou no maior senador americano de nossa época", completou.

Ted Kennedy morreu na noite de terça-feira em Hyannis Port, perto do local onde os Obama passam férias, depois de lutar contra um tumor cerebral durante pouco mais de um ano.

O senador apoiou Obama durante a campanha eleitoral do ano passado e compareceu à convenção democrata em Denver há 12 meses, apesar da doença, para pedir votos àquele que se tornou o primeiro presidente negro dos Estados Unidos.

Ted Kennedy era o irmão mais novo do presidente John F. Kennedy, assassinado em 1963, e de Bob Kennedy, também assassinado quando era candidato à Casa Branca, em 1968.

Em Londres, o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, prestou tributo a Edward Kennedy e afirmou que a morte será chorada em todos os continentes, enquanto seu antecessor, Tony Blair, homenageou um homem "admirado em todo o mundo".

"O senador Edward Kennedy não será chorado apenas nos Estados Unidos, mas em todos os continentes. Era admirado em todo o mundo como o senador dos senadores", declarou Brown.

"Mesmo quando enfrentava a doença e a morte, nunca deixou de lutar pelas causas que foram o trabalho de sua vida", completou o premier, que se declarou "orgulhoso de ter contado Ted Kennedy entre seus amigos" e lembrou que ele foi nomedo cavaleiro de honra este ano.

O antecessor, Tony Blair, saudou uma figura que "inspirou admiração, respeito e devoção, não somente nos Estados Unidos, mas no mundo inteiro".

"Foi um verdadeiro homem a serviço do povo, comprometido com os valores de equidade, justiça e oportunidade".

Blair também saudou a concentração e determinação que Ted Kennedy demonstrou nas negociações de paz que em 1998 resultaram no Acordo da Sexta-Feira Santa na Irlanda do Norte.

O primeiro-ministro irlandês, Brian Cowen, também homenageou Ted Kennedy.

"Os Estados Unidos perderam um grande e respeitado estadista e a Irlanda perdeu um antigo e verdadeiro amigo", declarou Cowen.

"Ted procedia de uma famosa família irlandesa-americana e com seus próprios esforços e conquistas acrescentou ainda mais brilho à reputação de uma grande família".

A família Kennedy tem uma relação próxima com a Irlanda. O bisavô de Ted Kennedy, Patrick Kennedy, emigrou deste país na década de 1840, enquanto sua irmã Jean Kennedy Smith foi embaixadora dos Estados Unidos neste país de 1993 a 1998.

Cowen também lembrou o papel importante de Kennedy no processo de paz na Irlanda do Norte.

Outro que lamentou a morte do senador democrata foi o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu.

"Kennedy foi um amigo durante 30 anos, um grande patriota americano, um grande defensor de um mundo melhor, um grande amigo de Israel", declarou Netanyahu durante o segundo dia de uma visita a Londres.

Quem também fez declarações similares foi o premier australiano, Kevin Rudd.

"Ted Kennedy foi um grande americano, um grande democrata e um grande amigo da Austrália. Ele fez uma contribuição extraordinária à política americana e uma contribuição extraordinária ao papel dos Estados Unidos no mundo".

afp/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG