Obama joga golfe contra seu mais ferrenho opositor

Líder dos EUA enfrenta presidente da Câmara dos EUA, o republicano Joe Boehner, em momento de tensões políticas e econômicas

iG São Paulo |

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, enfrenta neste sábado no golfe seu opositor mais radical, o presidente republicano da Câmara de Representantes, John Boehner, num momento de fortes tensões nos setores econômico e político. Ambos valorizam igualmente a importância de cada tacada, mas divergem em assuntos como cobrança de impostos, cortes de gastos e ações na Líbia .

No entanto, poucos esportes permitem às pessoas a oportunidade de falar mais relaxadamente como o golfe. Percorrer o campo de carrinho ou a pé estimula um grau de intimidade que a Casa Branca considera muito util. "Essa é uma oportunidade que, penso, tem muito valor acima do jogo em si", disse na sexta-feira o porta-voz da Casa Branca, Jay Carney.

Ele admitiu, no entanto, que embora as questões políticas e econômicos pairem sobre o campo de jogo, as possibilidades de conversas mais profundas são poucas. "Eles não sairão de lá dizendo que chegaram a um acordo", disse Carney. Mas "passar várias horas juntos nesse ambiente pode ajudar a melhorar as possibilidades de acordos bipartidários", acrescentou.

Boehner é considerado um dos melhores golfistas do Congresso, com handicap 7,9, segundo a revista Golf Digest.

A Casa Branca não revela o handicap dos presidentes, mas, de acordo com a Golf Digest, o de Obama é 17. Seu companheiro de jogo é o vice-presidente Joe Biden, com 6,2. Obama tem uma vantagem adicional - o jogo será em seu campo de golfe habitual: o da base aérea Andrews.

Boehner, por sua vez, convidou o governador republicano de Ohio, John Kasich, com handicap 8, para se somar à partida. Boehner disse na semana passada que pensava em como usar suas qualidades de golfista para ajudar a reduzir os gastos do governo federal.

Assistente de basquete

Além de jogar golfe e de suas funções na Casa Branca, Obama confessou neste sábado que desempenha uma outra ocupação: a de assistente do técnico do time de basquete de sua filha Sasha. A novidade foi contada por ele próprio na véspera da comemoração do Dia dos Pais nos EUA. "Nos domingos juntamos a equipe para treinar, e por várias vezes ajudei a dirigir as partidas", gabou-se Obama durante sua mensagem semanal transmitida pelo rádio.

"Sempre foi muito divertido, mesmo quando Sasha fechava os olhos quando seu pai gritava irritado com os árbitros", relembrou. "Espero que, com o passar dos anos, ela olhe para trás e veja que experiências como essa ajudaram a definir sua personalidade", afirmou.

Nos últimos anos, no Dia dos Pais, Obama se notabilizou por discursos nos quais chama a atenção dos homens para que cumpram com suas responsabilidades paternas.

O presidente americano, que viu o pai sair de casa quando ele tinha apenas dois anos, lançou no ano passado um diálogo nacional sobre os desafios que implica a ausência paterna e mobilizou funcionários em todo o país a tratar da questão. "Minha administração oferece um pequeno apoio extra aos homens que queiram ser bons pais", afirmou Obama neste sábado.

"Estamos fazendo isso porque nos empenhamos em estabelecer laços mais fortes entre pais e filhos", justificou o presidente, lembrando que seu governo disponibilizou um site para esse programa: http://fatherhood.gov.

*Com AFP

    Leia tudo sobre: euaobamaJohn Boehnergolfebasquete

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG