Obama já tem nome para chefe de gabinete e anuncia equipe de transição

Washington, 5 nov (EFE).- O presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, ofereceu o influente posto de chefe de gabinete da Casa Branca ao líder da bancada democrata na Câmara de Representantes, Rahm Emanuel.

EFE |

Segundo fontes do partido, a oferta foi feita horas depois da confirmação da vitória de Obama, pouco depois das 23h locais de ontem (2h de Brasília de quarta-feira).

A expectativa é que Emanuel, de 48 anos e que foi um forte aliado de Obama em Chicago, aceite a oferta.

No Congresso, o deputado, que foi assessor da Casa Branca durante o mandato do ex-presidente Bill Clinton e que nas eleições legislativas de 2006 coordenou a bem-sucedida campanha democrata na Câmara de Representantes, se caracterizou por sua firmeza e seu estilo arrasador.

Um dia depois de ter feito história nos EUA, Obama anunciou hoje sua equipe de transição, que vai ser liderada pelo ex-chefe de gabinete da Casa Branca John Podesta e pelos assessores de campanha Valerie Jarret e Pete Rouse.

Entre os integrantes da equipe também se encontram nomes como o ex-secretário de Habitação durante o Governo Clinton, Federico Peña, e a assessora de Obama para política externa, Susan Rice.

A previsão é que a equipe de transição começará a anunciar as nomeações para o futuro Governo nos próximos dias.

Um dos nomes mais esperados e que também deve ser um dos primeiros a ser anunciado é o do futuro secretário do Tesouro.

Entre os cotados para o cargo estão o ex-presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) Paul Volcker, o presidente do Fed de Nova York, Timothy Geithner, e o ex-secretário do Tesouro Larry Summers.

Independentemente de quem for escolhido, terá que começar trabalhar rápido, já que dentro de dez dias acontecerá em Washington a cúpula do G20 sobre a crise financeira internacional.

Na área de política externa, o presidente eleito também planeja movimentar-se rapidamente nas 11 semanas que restam até sua posse, em 20 de janeiro.

Os nomes mais sondados para o Departamento de Estado são os do senador republicano em fim de mandato Chuck Hagel, o do ex-candidato democrata à Presidência John Kerry e o do ex-enviado americano aos Bálcãs Richard Holbrooke.

À frente do Conselho de Segurança Nacional, podem ficar Susan Rice ou James Steinberg, um antigo assessor Clinton na Casa Branca.

EFE mv/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG