O presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, irá introduzir regras para restringir o papel de lobistas durante a transição e durante o seu governo, segundo o coordenador de sua equipe de transição, John Podesta. Em uma entrevista à imprensa, Podesta disse que Obama prometeu mudar a maneira como Washington funciona e conter a influência de lobistas.

Podesta disse que Obama irá introduzir "as regras éticas mais rigorosas e mais abrangentes de qualquer outro processo de transição da história" e prometeu a transferência de poder "mais aberta e transparente" já realizada.

De acordo com essas regras, Obama não permitirá que lobistas peçam ativamente para trabalhar com a transição e impedirá que quem tenha trabalhado como lobista em uma determinada área nos últimos 12 meses atue nessa mesma área durante a transição.

Além disso, quem trabalhar durante o processo de transição e se tornar um lobista depois será proibido de trabalhar para o futuro governo na mesma área nos 12 meses seguintes.

Os lobistas - o termo designa profissionais que representam grupos ou interesses e fazem lobby para tentar influenciar o governo ou outras instâncias de poder -foram duramente criticados durante a campanha eleitoral pelos dois candidatos, sendo acusados de vender favores e influência, estimulando uma cultura de corrupção entre os legisladores.

Quarto das filhas

Enquanto isso, em sua primeira entrevista depois das eleições, o presidente George W. Bush disse à rede CNN que durante a visita à Casa Branca, Obama fez questão de conhecer os quartos que serão ocupados pelas filhas.

AP
Bush e Obama conversam na Casa Branca

"Foi interessante vê-lo subir as escadas, e ele queria ver onde suas meninas iriam dormir", disse Bush.

"Eu sei que irei sentir falta de algumas coisas que fazem parte da Presidência. Mas eu também sei que quero muito ir para casa, então tenho emoções mistas", afirmou.

'Como um bebê'

Já o candidato republicano derrotado nas eleições, John McCain, fez piadas sobre a derrota em sua primeira entrevista depois das eleições.

Falando no programa The Tonight Show da NBC, com Jay Leno, McCain disse que desde então vem "dormindo como um bebê".

"Eu durmo duas horas, acordo e choro", acrescentou, repetindo a brincadeira que fez quando perdeu para George W. Bush durante as primárias republicanas em 2000.

O republicano também descartou uma nova disputa pela Presidência.

"Eu acho que não, meu amigo. Foi uma ótima experiência e nós teremos uma nova geração de líderes", afirmou.

Ele também afirmou que a candidata a vice Sarah Palin havia inspirado as pessoas e disse acreditar que ela "terá um grande papel no futuro do país".

Leia mais sobre Obama

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.