Obama inovará com Internet, assim como Roosevelt fez com o rádio

O uso explosivo da Internet, adotado com destreza por Barack Obama e sua equipe durante a campanha eleitoral, promete revolucionar a comunicação entre o presidente e os americanos, repetindo o feito de Franklin Delano Roosevelt, que conquistou a América e o mundo com o rádio, afirma o presidente do instituto New Democrat Network, Simon Rosenberg, um veterano da campanha de Bill Clinton à Casa Branca, em 1992.

AFP |

AFP: Em quê o uso extensivo de novas tecnologias pela equipe de campanha de Barack Obama revolucionou a comunicação política?

SR: O senador Obama acaba de realizar a verdadeira primeira campanha política do século XXI, usando as ferramentas fornecidas pela Internet para mobilizar seus correligionários. É o novo campo de batalha da política moderna.

Todas as próximas campanhas políticas nos Estados Unidos serão baseadas nesse modelo que se apóia na Internet para atingir as pessoas e permitir que elas participem mais ativamente do processo democrático. Essas ferramentas diminuíram a barreira de entrada na vida política, como prova o aumento em massa da participação cívica este ano, em termos de doação e de votos.

AFP: Como essa nova maneira de se comunicar vai se concretizar na Casa Branca? O recurso às novas tecnologias vai mudar as relações entre o presidente americano e seus cidadãos?

SR: Com o uso dessas ferramentas modernas, vamos assistir a uma formidável reinvenção da presidência americana. Nesta era de Internet, a presidência será mais aberta, mais transparente.

Além disso, é claro que Obama chega à presidência com mais ferramentas do que qualquer outro presidente americano para mobilizar seus correligionários em torno de seu programa e vencer a oposição do Congresso americano.

O presidente Franklin Roosevelt (o primeiro a se dirigir aos cidadãos americanos, regularmente, por rádio) usou muito eficazmente o rádio para estabelecer seu poder.

Ainda hoje, o presidente americano se dirige aos cidadãos todos os sábados no rádio, mas eu acho que esse discurso será, a partir de agora, divulgado no YouTube, e será traduzido em todos os principais idiomas do mundo - espanhol, francês, árabe, farsi... O presidente não se dirigirá mais apenas a seus concidadãos, mas a centenas de milhões de cidadãos no mundo. Isso vai mudar não apenas as relações entre o presidente e seus administrados, mas também a relação dos Estados Unidos com o mundo. Alguns governos podem não ser muito entusiastas...

AFP: Esse modelo vai fazer escola nas outras democracias ao redor do mundo?

SR: Vamos assistir a um amplo período de experimentação, não apenas nos Estados Unidos, mas no mundo inteiro. Todos os líderes eleitos vão querer tentar usar essas ferramentas em seu benefício.

Na Grã-Bretanha, David Cameron (líder do Partido Conservador) já é autor de extraordinários vídeos no YouTube. E também devemos esperar que o presidente francês, Nicolas Sarkozy, experimente as técnicas de Obama.

    Leia tudo sobre: internetobama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG