Obama indica novo subsecretário de Estado para América Latina

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, indicou nesta terça-feira o professor Arturo Valenzuela como o novo subsecretário de Estado americano para Assuntos do Hemisfério Ocidental, cargo do principal responsável pelas relações dos Estados Unidos com a América Latina. Professor da Universidade de Georgetown, em Washington, Valenzuela ainda precisará ter seu nome aprovado pelo Senado americano.

BBC Brasil |

Caso seja confirmado, ele irá substituir o atual subsecretário de Estado para o continente, Thomas Shannon, que ocupa o cargo desde outubro de 2005.

Entre os principais desafios do novo ocupante do cargo estão as relações dos Estados Unidos com o regime cubano e a possível suavização do embargo econômico à ilha.

Além disso, ele terá que lidar com alguns líderes que, nos últimos anos, mostraram-se bastante críticos em relação à política norte-americana para a região, como o presidente venezuelano Hugo Chávez.

Também nesta terça-feira, Obama indicou a especialista em microfinanças de origem boliviana María Otero para o cargo de subsecretária de Assuntos Globais do Departamento de Estado.

Valenzuela

Durante o segundo mandato do ex-presidente Bill Clinton, Arturo Valenzuela atuou como assessor especial da Casa Branca para Segurança Nacional e diretor sênior para Assuntos Interamericanos do Conselho de Segurança Nacional.

No primeiro mandato de Clinton, ele foi subsecretário assistente do Departamento de Estado para Assuntos Interamericanos, ocupando-se principalmente das relações dos Estados Unidos com o México.

No comunicado divulgado pela Casa Branca sobre sua indicação, Valenzuela é classificado como "um especialista nas origens e na consolidação da democracia; em política latino-americana e nas relações dos Estados Unidos com a América Latina".

Valenzuela também fez parte do conselho de diretores do National Council of La Raza, uma organização que luta pelos direitos dos hispânicos nos Estados Unidos.

Especialista em Chile, México e nos países do Cone Sul, em 2000, Valenzuela foi condecorado pelo governo brasileiro com a Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul.

"Animador"

Em entrevista por e-mail à BBC Brasil, o também professor da Universidade de Georgetown e vice-presidente do instituto de pesquisas Inter-American Dialogue, Michael Shifter, classificou a indicação de Valenzuela como "animadora".

"É animador que o governo Obama tenha selecionado alguém com extenso conhecimento e contatos para ficar a cargo do Hemisfério Ocidental no Departamento de Estado. Valenzuela estará bem posicionado para cumprir a agenda do governo para a região", disse Shifter.

Para o analista, a experiência de Valenzuela nas relações com o México durante o governo Clinton o ajudará a lidar com a questão mexicana, que classifica como "crítica" para os EUA.

Já em relação a Cuba, Shifter afirma esperar de Valenzuela "um movimento cauteloso na direção de um estreitamento de relações e abertura".

Segundo Shifter, em relação ao presidente venezuelano, Hugo Chávez, "é provável que Valenzuela mantenha a postura e tom moderados usados pelo atual subsecretário, Tom Shannon".

Leia mais sobre América Latina

    Leia tudo sobre: américa latina

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG