Obama indica governador hispânico para chefiar Comércio

O presidente-eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou nesta quarta-feira a indicação do governador do Novo México, Bill Richardson, para ser secretário de Comércio em sua futura administração. Richardson, que é filho de um nicaragüense e uma espanhola, foi o primeiro hispânico a disputar uma primária presidencial americana.

BBC Brasil |

Após a apresentação feita por Obama, o governador defendeu, em um discurso feito parcialmente em espanhol, a necessidade de ''fortalecer os laços com a América Latina e reforçar a importância de um hemisfério unido''.

Em entrevista à BBC Brasil, realizada durante a disputa eleitoral americana, Richardson havia dito que o governo do presidente George W. Bush negligenciou a América Latina.

Segundo o presidente-eleito, Richardson possui ''estatura internacional'', ''profunda compreensão da economia'' e as credenciais necessárias para ser um ''dos mais importantes embaixadores da economia americana''.

"Time de Rivais"
Richardson fez alusões às possíveis tensões na futura administração americana, que vem sendo chamada de ''um time de rivais'' pela imprensa dos Estados Unidos, em alusão ao título de um livro sobre a gestão de Abraham Lincoln.

''Alguns vêm chamando este de um time de rivais, mas não vejo dessa forma. Fomos competidores no passado, mas rivais são duros e menos capazes de perdoar, algo que não cabe na diplomacia ou no comércio'', afirmou.

O governador irá ocupar uma pasta responsável em promover as exportações dos Estados Unidos e cujo titular atua como uma espécie de embaixador da comunidade empresarial americana, procurando abrir novos mercados para os produtos do país e zelando pela proteção da propriedade intelectual de artigos dos Estados Unidos.

Alguns analistas econômicos americanos chegaram a se surpreender que Richardson tenha aceitado comandar o Comércio, uma vez que esta é considerada uma pasta de importância menor.

O cargo foi considerado uma espécie de prêmio de consolação para Richardson, que abandonou a disputa das primárias democratas ainda no início e anunciou seu apoio a Obama em março.

Ex-embaixador americano na ONU e secretário de Energia na gestão do presidente Bill Clinton (1993-2001), Richardson era cotado para ser o secretário de Estado americano, devido à sua experiência em política internacional.

Mas ele acabou perdendo o posto para a senadora Hillary Clinton, que foi confirmada por Obama para o cargo na segunda-feira, e que travou com o presidente-eleito uma dura e tensa disputa durante as primárias.

Quando anunciou seu apoio a Obama, alguns correligionários de Hillary chamaram o governador de traidor, devido aos cargos que ele ocupou na administração de Bill Clinton e os fortes laços que manteve com o ex-presidente e sua mulher.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG