O pré-candidato democrata para a eleição presidencial americana, Barack Obama, passou esta quarta-feira reunido com sindicalistas na Filadélfia e prometeu voltar ao estado para realizar o sonho americano.

Obama recebeu apoio de uma nova organização sindical que representa os trabalhadores de hospitais e centros de atendimento médico, o National Union of Hospital and Health Care Employees (NUHHCE).

"Já é hora de termos um presidente que seja capaz de pronunciar a palavra 'sindicato'. Já é hora de termos um candidato democrata que não fale dos sindicatos apenas durante as primárias", disse Obama a cerca de mil sindicalistas.

Os delegados da central sindical AFL-CIO interromperam várias vezes o senador de Illinois e repetiram o lema de sua campanha: "Sim, podemos!" ("Yes, we can!", em inglês). Eram numerosos os representantes do SEIU (Service Employees International Union) que apoiavam o pré-candidato usando camisetas da campanha.

Obama criticou a política do presidente George W. Bush, que "durante os últimos sete anos serviu aos interesses dos mais ricos".

"Os Estados Unidos não podem permitir mais quatro anos de política Bush", e John McCain quer continuar "essa mesma política que tirou o sonho americano do alcance de muitos americanos", acusou.

Em seu discurso, prometeu criar "milhões de novos empregos" e investir 60 bilhões de dólares em 10 anos para reconstruir pontes e estradas. Também propôs aplicar 150 bilhões de dólares para os próximos 10 anos em energias alternativas, assegurando que isso vai gerar cinco milhões de empregos.

aje/cl/tt

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.