Obama fala da escolha do vice-presidente e aproveita para alfinetar Bush e Cheney

O candidato democrata à Casa Branca, Barack Obama, explicou nesta terça-feira, em um comício na Carolina do Norte, os critérios que leverá em consideração na hora de escolher seu vice-presidente, aproveitando para criticar o atual vice americano.

AFP |

Em meio a especulações sobre quem será o escolhido para acompanhá-lo na chapa democrata à presidência, Obama disse que busca um autêntico sócio no governo, que seja íntegro e que não tenha medo de dizer o que pensa.

"E isso é o que eu não faria", disse o senador durante o comício, lançando um ataque indireto ao presidente americano, George W. Bush, e a seu reservado e influente número dois, Dick Cheney.

"Não deixarei minha política energética nas mãos de meu vice-presidente. Não deixarei meu vice-presidente fazendo política exterior por mim. A responsabilidade termina sendo minha, porque eu serei o presidente", alfinetou Obama.

"Meu vice-presidente também será, certamente, um membro do setor executivo, não será um desses quatro braços do governo que funcionam acima da lei", continuou o candidato democrata.

"Quero alguém que tenha integridade, que esteja na política pelas razões corretas, alguém independente, capaz de me dizer 'sabe, senhor presidente, acho que o senhor está errado nisso e este é o motivo'", pontuou.

O candidato deve ainda "compartilhar minha paixão", disse Obama, deve ser "alguém que esteja agora mesmo enojado porque as pessoas estão perdendo seus empregos e enojado porque as pessoas estão vendo sua renda diminuir e queira reconstruir a classe média neste país".

Acima de tudo, no entanto, "quero alguém capaz de ser presidente, em quem eu confie", concluiu o candidato democrata.

jit/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG