Obama expressa apoio ao Líbano em aniversário da morte de Hariri

Washington, 12 fev (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, expressou hoje seu apoio ao Tribunal Especial para o Líbano, encarregado de julgar os responsáveis pelo assassinato do ex-primeiro-ministro desse país Rafik Hariri, crime que no sábado completa quatro anos.

EFE |

Em comunicado distribuído pela Casa Branca, Obama assegura que o sacrifício do primeiro-ministro "não será em vão", e expressa seu "completo apoio" ao Tribunal Especial da ONU para o Líbano, que começará seu trabalho em algumas semanas com o objetivo de levar à Justiça os responsáveis por "aquele terrível atentado e os que lhe seguiram".

O presidente americano também lembra a proximidade das eleições parlamentares no Líbano e afirma que os Estados Unidos "continuarão apoiando a soberania e independência do Líbano, assim como suas instituições e seu povo".

"Continuamos com nosso apoio às vozes da paz e à moderação no Líbano, e esperamos que o Líbano continue no caminho da reconciliação nacional, da paz e da prosperidade que seus cidadãos tanto merecem", acrescenta.

O Tribunal da ONU para o Líbano começará a funcionar no dia 1º de março nos arredores de Haia, onde julgará os supostos responsáveis pela morte de Hariri, em um atentado com carro bomba em Beirute em 14 de fevereiro de 2005.

A Corte será formada por 11 juízes, incluindo quatro libaneses.

A morte de Hariri, que nos últimos meses de sua vida tinha se afastado gradualmente de Damasco, desencadeou uma série de protestos que culminaram com a retirada das tropas sírias do Líbano, presentes nesse país desde 1975. EFE mv/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG