Obama está pronto para ser presidente dos EUA, diz Clinton

O ex-presidente americano Bill Clinton afirmou que o candidato presidencial democrata, o senador Barack Obama, está pronto para liderar a América e pronto para ser presidente dos Estados Unidos. O discurso de Clinton era um dos mais aguardados de toda a convenção.

BBC Brasil |

Assim que subiu ao palco, a platéia se lançou em gritos e aplausos de pé por quatro minutos, no que foi o mais entusiástico tratamento reservado a um dos oradores da convenção desde a abertura do evento, na segunda-feira, superando até a empolgação despertada por sua mulher, a senadora Hillary Clinton, na terça à noite.

''Não sou tão grato pela oportunidade de discursar após o magnífico pronunciamento dela (Hillary) ontem à noite, mas farei o melhor que puder. Hillary disse, em termos nada ambíguos, que ela fará de tudo para eleger Barack Obama. Então somos dois. Na verdade, somos 18 milhões, porque, como Hillary, quero que todos vocês que a apoiaram, votem em Barack Obama em novembro.''
Gafes
Durante a disputa de mais de 15 meses das primárias eleitorais entre Hillary e Obama, Clinton protagonizou gafes que teriam prejudicado a candidatura de sua mulher.

Uma das mais célebres ocorreu durante a disputa no Estado da Carolina do Sul, que conta com um grande número de eleitores democratas negros.

Clinton procurou minimizar a conquista de Obama no Estado, comparando a vitória dele à do reverendo Jesse Jackson, um dos primeiros líderes negros democratas de destaque no cenário internacional, mas que nunca chegou perto de conquistar a indicação presidencial democrata.

A estratégia de Clinton pareceu ter saído pela culatra já que, a partir de então, os eleitores afro-americanos abraçaram em peso a candidatura de Obama, que passou a conquistar o voto da comunidade negra em diferentes Estados, muitas vezes com mais de 90% da preferência.

O ex-presidente procurou colocar as polêmicas das primárias para trás nas inúmeras homenagens que rendeu a Obama.

'Jovem demais'
O ex-presidente chegou a comparar a sua trajetória com a do atual candidato democrata.

''Juntos, nós prevalecemos em uma campanha na qual os republicanos disseram que eu era jovem demais e inexperiente demais para ser comandante-em-chefe. Soa familiar? Não funcionou em 1992, porque estávamos do lado certo da história. E não vai funcionar em 2008, porque Barack Obama está do lado certo da história.''
Clinton também atacou o virtual candidato republicano à Presidência americana, John McCain, comparando as propostas dele às políticas do presidente George W. Bush.

''Eles querem que nós os recompensemos pelos últimos oito anos, ao dar-lhes mais quatro anos'', afirmou, emendando, em seguida, que o país inteiro deveria enviar uma mensagem aos republicanos: ''Obrigado, mas não obrigado.''
O ex-líder americano argumentou que a gestão de Bush enfraqueceu a posição americana no mundo, agindo com ''muito unilateralismo e pouca cooperação, uma perigosa dependência do petróleo importado e uma recusa em assumir a liderança no combate ao aquecimento global (...) e um constante fracasso em fazer uso da diplomacia, desde o Oriente Médio até a África e a América Latina, passando pela Europa central e o Leste Europeu''.

Clinton acrescentou que ''o trabalho do próximo presidente dos Estados Unidos é reconstruir o sonho americano e restaurar a imagem da América no mundo''.

''Tudo o que eu aprendi em meus oito anos como presidente e no trabalho que eu fiz desde então, na América e em todo o planeta, me convenceu de que Barack Obama é o homem para este trabalho.''

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG