Obama está atento à violência na fronteira mexicana

O presidente Barack Obama disse nesta terça-feira que acompanha atentamente a violência na fronteira entre Estados Unidos e México, e prometeu adotar novas medidas, se necessário, contra os cartéis da droga que operam na região.

AFP |

"Seguiremos monitorando de perto" a situação na fronteira e se o plano anunciado hoje para reforçar a segurança "não tiver sucesso, faremos mais", destacou Obama na entrevista coletiva concedida na Casa Branca.

"Estamos ajudando o governo mexicano", disse Obama, que saudou a luta travada pelo presidente do México, Felipe Calderón, contra os grupos criminosos. "Mas precisamos fazer mais", como deter o fluxo de dinheiro dos Estados Unidos como produto da venda de drogas.

Washington anunciou hoje o envio de reforços policiais e judiciários à fronteira mexicana, como parte de uma revisão de sua estratégia de combate às drogas.

Os Estados Unidos vão investir 700 milhões de dólares em 2009 para trabalhar, em colaboração com o México, no plano contra as drogas aprovado pelo Congresso americano em 2008.

"Estamos tomando providências dos dois lados da fronteira, trabalhando com nossos parceiros mexicanos para apoiar a luta do governo do México contra os violentos cartéis da droga e reduzir o tráfico nas duas direções", anunciou mais cedo a Casa Branca.

De acordo com as autoridades mexicanas, a violência ligada ao narcotráfico provocou a morte de mais de 5.300 pessoas em 2008 em todo o país, apesar dos 36.000 militares e policiais mobilizados há dois anos contra os cartéis.

emm/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG