Obama escolhe especialistas em aquecimento global como assessores

Washington, 19 dez (EFE).- O presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, escolheu dois cientistas reconhecidos por seu compromisso contra o aquecimento global para fazer parte de sua equipe de assessores, informou hoje o jornal The Washington Post.

EFE |

O jornal antecipou que Obama nomeará amanhã o físico da Universidade de Harvard John Holdren como assessor presidencial de ciência e a bióloga marinha da Universidade do Oregon Jane Lubchenco como diretora da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA, na sigla em inglês).

A notícia, da mesma forma que a nomeação esta semana de Steven Chu, diretor do Laboratório Nacional Lawrence Berkeley, como secretário de Energia, foi vista como um gesto da mudança de políticas energéticas e ambientais.

Holdren e Lubchenco afirmaram, em repetidas ocasiões, que é necessário um limite obrigatório de emissões de gases causadores do efeito estufa para evitar mudanças climáticas catastróficas.

Em 2007, como presidente da junta diretiva da Associação Americana para o Avanço da Ciência, Holdren supervisionou a aprovação da primeira declaração sobre o aquecimento global, na qual se assinala que "é a hora de uma vontade política necessária para começar uma ação conjunta".

Fora isso, o diário lembrou que em entrevista que concedeu em outubro, Lubchenco declarou que "o Governo Bush não foi respeitoso com a ciência".

"Mas não acho que seja o caso dos republicanos em geral. Sei que não o é", acrescentou Lubchenco.

Holdren, de 64 anos, é professor de políticas ambientais na Universidade de Harvard e diretor do programa de políticas públicas sobre ciência e tecnologia do Belfer Center for Science and International Affairs.

Quanto a Lubchenco, que preside a American Association for the Advancement of Science (AAAS), trabalhou durante décadas pela proteção da diversidade marinha e dirigiu uma equipe de pesquisadores da Universidade do Oregon para estudar o impacto da mudança climática na costa do Pacífico. EFE elv/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG