Obama encerra campanha abalado com a morte da avó materna

Washington, 3 nov (EFE) - O candidato democrata à Casa Branca, Barack Obama, encerrou hoje sua campanha eleitoral entre a má notícia da morte da avó materna, na véspera das eleições, e o otimismo de sua vantagem nas pesquisas de intenção de voto. Em um comício na Carolina do Norte, Obama pediu aos eleitores para comparecerem às urnas amanhã para mudar os Estados Unidos. Temos um só dia, afirmou o candidato democrata. Amanhã podemos optar por iniciar políticas que beneficiem a classe média, que ajudem não a Wall Street, mas as pessoas comuns, acrescentou.

EFE |

"Podemos deixar de lado políticas que só buscam ganhar eleições a cada quatro anos, que opõem região a região, estado a estado, democrata a republicano", prosseguiu.

"Amanhã podemos conseguir a mudança da qual precisamos", acrescentou.

Na homenagem à avó, que morreu hoje aos 86 anos em Honolulu de câncer, o candidato - que em determinado momento não resistiu e começou a chorar, mas sem interromper o discurso- falou sobre os "heróis calados" do país, que se sacrificam todos os dias em seus trabalhos para levar à frente suas famílias e a nação.

Na terça-feira, acrescentou, "temos a oportunidade de um dia para prestar homenagem a estes heróis calados" e votar a favor de políticas que demonstrem que seus sacrifícios não foram em vão.

Obama, que quer se tornar amanhã o primeiro presidente negro dos EUA, analisou seu um ano e meio de campanha.

"Quando começamos em Springfield, Illinois - onde anunciou sua candidatura -, sabíamos que tínhamos pela frente um enorme desafio, conseguir um novo tipo de política", afirmou.

"Os americanos são pessoas decentes e trabalhadoras. Quando nos unimos, podemos superar qualquer desafio", insistiu.

O democrata deve encerrar sua campanha oficialmente em Manassas (Virgínia) esta noite, mas na terça-feira ainda participará de atos em Indiana antes de ir a Chicago para receber os resultados e acudir à festa da noite eleitoral de sua campanha.

O candidato, ao qual as pesquisas apontam como favorito, começou o dia em Jacksonville, na Flórida, onde falou: "Tenho uma palavra para vocês: amanhã".

"Nas últimas horas (antes do pleito) não podemos nos permitir afrouxar, sentar e relaxar, nem um só minuto, nem uma só hora, nem um só segundo. Em nenhum momento nas próximas horas", sustentou. EFE mv/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG