Obama elogia esforços antidrogas do México

CIDADE DO MÉXICO - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, prometeu na quinta-feira, em sua segunda grande viagem ao exterior desde a posse, que dará um forte apoio ao governo mexicano na sua luta contra as quadrilhas de narcotraficantes que agem na fronteira comum.

Redação com Reuters |


Reuters
Obama é recebido por Calderón
Obama é recebido por Calderón
"Num momento em que o governo mexicano tão corajosamente enfrenta os cartéis de drogas que assolam ambos os lados da fronteira, é absolutamente crítico que os Estados Unidos se juntem como um parceiro completo no trato desse assunto", disse Obama em uma cerimônia de boas vindas.

Obama disse que irá pressionar o Senado a ratificar um tratado destinado a combater o fluxo de armas e munições para os traficantes latino-americanos.

O governo Obama também está reforçando a segurança na fronteira com o México a fim de evitar o contrabando de armas, e pretende enviar helicópteros Black Hawk para ajudar os esforços de Calderón.

Em entrevista coletiva, o presidente dos EUA afirmou não poder "fingir" que os cartéis sejam problema apenas dos mexicanos. Segundo ele, a ação em parceria é necessária porque a demanda por drogas nos Estados Unidos mantém os cartéis funcionando.

"Sei que essa luta não vai ser fácil", disse Obama, "mas estou confiante, e se continuarmos agindo, vamos prevalecer", completou.

Valor simbólico

Esta é a primeira vez que Obama visita um país latino-americano em sua vida.  Desde a posse, ele fez uma rápida visita ao Canadá, e, no começo deste mês, atravessou o Atlântico para cúpulas do G20 e da Otan, entre outros compromissos. No final da semana, ele participa em Trinidad e Tobago da Cúpula das Américas.

Funcionários da Casa Branca destacaram o simbolismo da visita de Obama ao México, cujo governo tenta conter uma onda de violência sem precedentes, que já provoca reflexos nos EUA.

"Acho que o presidente (Felipe) Calderón fez um trabalho excelente e heroico em lidar com o que no momento é um grande problema com os cartéis de drogas ao longo das fronteiras", disse Obama à CNN em espanhol.

Ele também discutiu questões econômicas e energéticas com Calderón na sexta-feira na Cidade do México, antes de ambos embarcarem para Trinidad.

Obama espera melhorar as relações com o México e com a América Latina em geral, depois de uma deterioração nas relações que seus assessores atribuem ao descaso do governo de George W. Bush com a região.

Na quarta-feira, cerca de 12 pessoas morreram em um tiroteio entre soldados e supostos traficantes no sul do México. No ano passado, a violência entre quadrilhas e os confrontos destas com as forças de segurança deixaram cerca de 6.300 mortos.

Leia mais sobre México

    Leia tudo sobre: mexicoméxico

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG