Obama e Sarkozy são indicados ao Nobel da Paz 2009

Os presidentes dos Estados Unidos, Barack Obama, e da França, Nicolas Sarkozy, figuram entre as 205 pessoas e organizações - um número recorde - indicados a receber o prêmio Nobel da Paz, em duas candidaturas eminentes que os especialistas, no entanto, julgam prematuras demais para vencer.

AFP |

"Recebemos 205 candidaturas, entre as quais há 33 organizações", declarou nesta sexta-feira à AFP o diretor do Instituto Nobel de Oslo, Geir Lundestad. "É um novo recorde".

A identidade dos candidatos é mantida em segredo durante 50 anos, mas alguns nomes sempre acabam vazando para a imprensa, muitas vezes divulgados pelos padrinhos dos indicados para promovê-los.

Assim, publicou-se que Obama e Sarkozy estão na lista deste ano.

Entre os outros candidatos figuram ainda a ex-refém franco-colombiana Ingrid Betancourt e o dissidente chinês Hu Jia.

A presença deste último entre os nomes examinados pelos cinco membros do comitê Nobel corre o risco de indispor o regime chinês mais uma vez, já que Pequim costuma reagir furiosamente cada vez que um de seus dissidentes é indicado ao prêmio.

Quanto a Obama e Sarkozy, especialistas acreditam ser cedo demais para afirmar que são fortes candidatos.

"Sarkozy tem estado muito ativo no cenário internacional, na Geórgia e no Oriente Médio, onde tentou contribuir para pôr fim à guerra de Gaza, mas ainda não conseguiu um êxito impactante", disse à AFP Gunnar Soerboe, diretor do Instituto Christian Michelsen, especializado em pesquisas sobre paz e desenvolvimento.

"Com o tempo, se continuar colhendo êxitos, pode se tornar um aspirante crível, mas ainda é cedo demais para isso", acrescentou.

O Instituto de Pesquisas sobre a Paz de Oslo (PRIO) também relativizou as possibilidades dos dois chefes de Estado.

"É muito fácil estar na lista de candidatos. Basta pedir a qualquer parlamentar que apresente uma candidatura em seu favor", afirmou. "Na maior parte das vezes, as candidaturas mais interessantes são as que têm menos publicidade".

phy/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG