Obama e McCain divergem sobre estratégia no Iraque

Washington, 14 jul (EFE) - Os candidatos à Presidência dos Estados Unidos, o republicano John McCain e o democrata Barack Obama, se enfrentaram hoje sobre suas respectivas estratégias para a Guerra do Iraque.

EFE |

Obama deve fazer amanhã um discurso sobre o Iraque, que deve ser visitado pelo aspirante democrata em breve, assim como o Afeganistão.

O senador por Illinois é a favor da retirada das tropas americanas do Iraque nos próximos 16 meses.

No entanto, nos últimos 15 dias, apontou que poderia "refinar" essa posição se as condições na região mudassem.

Em uma coluna que será publicada hoje pelo jornal "The New York Times", Obama dá as boas-vindas à reivindicação do primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki, de que seja incluída na pauta a retirada das tropas americanas nas negociações atuais sobre a presença desses soldados no Iraque.

Obama também critica McCain por não apoiar o estabelecimento de uma data para a retirada, algo que, em sua opinião, "não é uma estratégia para o sucesso, mas uma estratégia para ser contrário à vontade do povo iraquiano, do povo americano e dos interesses de segurança dos EUA".

"Por isso, em meu primeiro dia no escritório, encomendarei às Forças Armadas uma nova missão: pôr fim à guerra", declarou.

Segundo Obama, "pôr fim à guerra é imprescindível para cumprir nossas metas estratégicas mais amplas, começando no Afeganistão e Paquistão, onde o movimento talibã recupera forças e a rede Al Qaeda conta com um refúgio".

O candidato democrata afirma que, se chegar à Presidência, desdobrará duas brigadas de combate mais cerca de 9 mil soldados no Afeganistão, onde os EUA já mantêm 36 mil efetivos.

Já o candidato republicano disse em um comício em Phoenix que Obama "estava errado quando disse que (o aumento das tropas no Iraque) não teria sucesso".

"Ele estava errado quando disse que tínhamos perdido a guerra e está errado agora quando diz que o Iraque não é o campo de batalha principal" na luta contra o terrorismo, acrescentou.

A data da viagem de Obama ao Iraque e Afeganistão não foi divulgada publicamente por motivos de segurança.

O candidato democrata só foi uma vez ao Iraque, enquanto o adversário republicano já viajou ao país várias vezes e o acusa de não ter a experiência necessária para atuar como comandante-em-chefe das tropas americanas.EFE mv/bm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG