Obama e McCain disputam voto evangélico

Os virtuais candidatos democrata e republicano à presidência dos Estados Unidos, Barack Obama e John McCain, tentaram conquistar o voto dos evangélicos ao participar de um fórum religioso transmitido em televisão nacional. O debate, mediado pelo pastor evangélico Rick Warren, marcou a primeiraaparição pública conjunta dos principais rivais na corrida pela Casa Branca desde o início da campanha eleitoral.

BBC Brasil |

Durante o fórum, que durou cerca de duas horas, Obama e McCain falaram sobre suas crenças religiosas, sobre aborto, casamento e o fracasso moral pessoal e dos Estados Unidos.

O debate foi o último encontro entre os rivais antes das convenções de seus respectivos partidos, que acontecem dentro de poucas semanas e onde devem ser oficialmente nomeados como candidatos para as eleições presidenciais de novembro.

Depois das convenções, três outros debates estão agendados entre os candidatos dos partidos Democrata e Republicano.

Opiniões
O primeiro a falar foi Obama, que defendeu seu apoio pelo aborto e pelas uniões civis homossexuais, mas ressaltou que o casamento deve ser apenas entre um homem e uma mulher.

Já o republicano McCain, que é contra o aborto, demonstrou seu apoio pelo status do casamento.

"Serei um presidente pró-vida e meu mandato terá políticas pró-vida. Esse é meu compromisso com vocês", disse o republicano.

No início da entrevista, Obama disse ao pastor que o principal fracasso moral do país havia sido a ajuda insuficiente que deu aos menos favorecidos.

Questionado sobre sua opinião a respeito do fracasso moral dos americanos, o republicano McCain disse que "talvez não tenhamos nos dedicado a causas maiores que nosso próprio interesse".

Em uma aparente crítica ao atual presidente, George W. Bush, McCain afirmou que o governo deveria ter incentivado o serviço militar, a participação das pessoas em programas de paz e outras organizações voluntárias depois dos atentados de 11 de setembro, ao invés de fazer campanha por "ir às compras".

Voto cristão
O Pastor Warren, que serviu de anfitrião e de entrevistador, é conhecido por ter construído uma das principais "macroigrejas" dos Estados Unidos, a paróquia de Saddleback, em Lake Forest, no sul da Califórnia, da qual fazem parte cerca de 20 mil fiéis.

Os cristãos conservadores formam cerca de 25% do eleitorado americano. A maioria apóia o Partido Republicano, mas não demonstrou grande entusiasmo pela campanha de McCain.

O republicano se identifica como Batista e fez um apelo forte aos conservadores sociais e cristãos evangélicos durante sua campanha.

No entanto, ele raramente fala sobre a fé. No início deste ano, McCain afirmou que "não tem vergonha sobre sua profunda fé em Deus", mas que "obviamente, não tentava impor suas opiniões para os outros".

Já o senador pelo estado do Illinois, Barack Obama, que se considera cristão, discutiu a religião durante toda a trajetória de sua campanha e vem tentando conquistar eleitores religiosos com participações em programas cristãos de rádio, blogs e outros eventos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG