Nova York, 11 set (EFE).- Os candidatos à Presidência dos Estados Unidos, o democrata Barack Obama e o republicano John McCain, dedicam hoje grande parte do dia a render tributo à memória das vítimas dos atentados do 11 de Setembro de 2001, enquanto faltam 54 dias para as eleições.

No sétimo aniversário da tragédia, Obama apelou à renovação do "espírito de serviço e sentimento de objetivo comum" que seguiu aos atentados nos quais morreram quase três mil pessoas.

Em comunicado, Obama disse que em "11 de setembro, os americanos de todo o país se uniram para estar com as famílias das vítimas, doar sangue, oferecer caridade e rezar pelo país".

"Renovemos esse espírito de serviço e esse sentimento de objetivo comum", propôs o candidato democrata, que acrescentou que "os terroristas responsáveis pelo 11 de Setembro ainda andam soltos e devem ser levados à Justiça".

Já McCain ressaltou, de Shanksville, na Pensilvânia, que "nenhum americano que viveu os atentados deve esquecer jamais o heroísmo que ocorreu nos céus no 11 de Setembro".

"Pensava-se que os terroristas do vôo 93 da United (Airlines) podiam jogar o avião no Capitólio", explicou McCain aos presentes, entre os quais havia autoridades locais e parentes dos 40 passageiros e da tripulação do avião.

"Eles, e possivelmente eu, devemos nossas vidas aos passageiros que se encheram de coragem e amor para evitar o terrível triunfo de nossos odiosos inimigos", acrescentou.

As declarações de ambos acontecem em um dia muito especial na campanha eleitoral, já que pela primeira vez os dois políticos aparecerão juntos desde que foram designados candidatos à Presidência americana.

De fato, os dois serão vistos juntos duas vezes durante o dia, a primeira delas no Marco Zero de Nova York, onde ficava o World Trade Center, destruído nos atentados terroristas.

Em pleno coração de Manhattan e protegidos por um ferrenho dispositivo de segurança, eles farão um tributo silencioso às vítimas e deixarão coroas de flores em memória delas.

A segunda ocasião será em um fórum sobre serviço e compromisso público organizado na Universidade de Colúmbia.

Além disso, os dois decidiram suspender todos os anúncios televisivos de campanha em que trocam acusações, em uma espécie de cessar-fogo em respeito às vítimas do pior atentado terrorista da história americana. EFE mgl/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.