Obama e McCain concordam sobre ameaça russa

Os candidatos Barack Obama e John McCain concordaram nesta sexta-feira, em seu primeiro debate na TV, que Rússia e Irã são uma ameaça à paz e a seus vizinhos, mas adotaram posições distintas sobre a questão.

AFP |

"Acho que, levando em conta o que aconteceu nas últimas semanas e meses, toda a nossa abordagem em relação à Rússia precisa ser avaliada, porque uma Rússia reerguida e muito agressiva é uma ameaça à paz e à estabilidade da região", disse Obama. "As ações russas na Geórgia foram inaceitáveis".

McCain, que já fez ameaças de expulsar a Rússia do G8, acusou o senador democrata de falar com um pouco de ingenuidade: "Ele não entende que a Rússia cometeu sérias agressões contra a Geórgia".

O republicano argumentou que a nova Rússia, enriquecida pelo petróleo, é "basicamente um governo aparelhado pela KGB".

Sobre o Irã, Obama e McCain concordaram em que os Estados Unidos não podem tolerar que Teerã desenvolva armas atômicas.

"Não podemos permitir um segundo Holocausto", destacou o senador republicano, argumentando que outras nações do Oriente Médio poderiam se sentir incentivadas "a adquirir armas nucleares também" caso o Irã levasse adiante seu programa nuclear.

"Minha leitura da ameaça iraniana é de que, caso o Irã adquira armas nucleares, passa a representar uma ameaça à existência do Estado de Israel", enfatizou o republicano.

Obama concordou, dizendo temer uma corrida armamentista no Oriente Médio, mas discordou da opinião de McCain "de que seremos capazes de executar o tipo de sanção que precisamos sem alguma cooperação de países como China e Rússia".

jit/ap/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG