Obama e McCain aproveitarão visita à Flórida para atrair cubanos

Miami, 19 mai (EFE) - Os aspirantes à Casa Branca John McCain e Barack Obama visitarão esta semana a Flórida para mobilizar seus eleitores e tentar atrair o apoio do influente exílio cubano de olhos nas eleições de novembro, informaram hoje fontes partidárias.

EFE |

Será a primeira visita do democrata Barack Obama à Flórida em nove meses, o que demonstra sua tentativa de recuperar o terreno perdido nesse estado durante o processo de eleições primárias de seu partido.

As primárias da Flórida, assim como as de Michigan, realizadas em 5 de fevereiro, foram declaradas nulas pelo partido por terem se antecipado ao calendário e, por esse motivo, Obama não fez campanha nos dois estados.

Tanto na Flórida como em Michigan venceu sua adversária pela candidatura democrata, a senadora Hillary Clinton, que insiste em que a direção do partido reconheça como válidas as duas primárias para receber o correspondente número de delegados.

Obama estará na Flórida entre quarta e sexta-feira em uma visita que começará por Orlando, continuará em Tampa e terminará em Miami, a fim de captar os 1,75 milhão de eleitores democratas, muitos deles partidários de Hillary.

Segundo um porta-voz da campanha de Obama na Flórida, o senador de Illinois pretende com esta viagem atrair também o voto judeu e latino, dois blocos de eleitores fundamentais para suas aspirações presidenciais.

Obama falará na próxima sexta-feira em Miami em um almoço organizado pela Fundação Nacional Cubano-Americana (FNCA), um encontro que lhe permitirá explicar aos imigrantes cubanos sua posição sobre Cuba e uma eventual transição democrática na ilha.

Sua intenção é explicar com detalhe seus comentários sobre a possibilidade de se reunir sem condições estipuladas com alguns líderes, como o presidente cubano, Raúl Castro, e o venezuelano, Hugo Chávez.

Ana Navarra, porta-voz de McCain, disse hoje que o candidato republicano vem a Miami para se reunir com os ex-presos políticos cubanos, "com os quais sente uma grande comunhão", já que ele mesmo foi prisioneiro de guerra no Vietnã.

McCain dará uma conferência amanhã em Miami sobre Cuba e América Latina e depois irá à Casa-Museu do Preso, onde debaterá com ex-presos políticos cubanos.

A porta-voz insistiu em que o senador pelo Arizona deixará claro em Miami seu compromisso com "a liberdade de todos os presos políticos e a democracia em Cuba" como condição indesculpável antes de se reunir com Raúl Castro. EFE emi/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG