Obama e Hillary promovem primeiro comício juntos

O senador Barack Obama e a senadora Hillary Clinton farão nesta sexta-feira seu primeiro evento público conjunto desde o fim da disputa das primárias democratas para a Presidência dos Estados Unidos, em um comício a ser realizado na cidade de Unity, no Estado de New Hampshire. A escolha do local para o comício é cercada de simbolismo - a começar pelo nome da pequena cidade, que significa unidade.

BBC Brasil |

Acrescente-se a isso o fato de que os dois ex-rivais terminaram a disputa empatados em Unity, tendo conquistado 107 votos cada um. A primária de New Hampshire, realizada em janeiro, foi vencida por Hillary.

A senadora suspendeu a sua campanha no início deste mês e anunciou publicamente seu apoio a Obama. Seu marido, o ex-presidente Bill Clinton, também anunciou seu apoio ao senador nesta semana.

Os dois democratas travaram uma acirrada disputada, de mais de 15 meses, na qual chegaram a trocar pesadas acusações e despertaram temores de que o partido poderia se desgastar e chegar rachado às urnas, na eleição geral, em novembro .

Portas fechadas

Na quinta-feira, Obama e Hillary participaram de um evento fechado ao público, em Washington DC, que contou com a presença de diversos correligionários da senadora, em Washington DC.

AFP
Hillary e Obama fazem campanha juntos
 No encontro, discutiu-se formas de auxiliar a senadora a aplacar algumas das dívidas de sua campanha, que ultrapassam US$ 20 milhões. Obama já se comprometeu a ajudá-la a levantar pelo menos US$ 10 milhões.

Na reunião de Washington, a chefe do comitê de Finanças de Obama, Penny Pritzker, chegou a fazer um cheque de US$ 4.600 para ajudar a reduzir a dívida de Hillary.

A senadora apresentou Obama, chamando-o de ''meu amigo'' e acrescentou que os democratas terão ''muito trabalho pela frente, não apenas até a eleição, mas até depois dela, para garantir que esta eleição traga benefícios para todo os país''.

O senador, por sua vez, louvou o ''extraordinário serviço público'' prestado por Hillary e disse que irá ''precisar tê-la a meu lado, fazendo campanha''.

Avó elogiosa

Obama chegou a contar que até mesmo a sua avó fez elogios à senadora. Ele contou que conversou com ela constantemente durante a temporada de primárias e que obviamente ''ela estava torcendo por seu neto''. Mas acrescentou que ela costumava reclamar que as pessoas não estavam sendo justas com Hillary. Ela teria dito: ''Quando eu vejo o instinto dela em seguir lutando em nome daqueles que precisam de uma defensora, ela me lembra um pouco de mim mesma''.

Obama concluiu dizendo que já pediu a alguns dos principais doadores de sua campanha para ''abrir seus talões de cheques e garantir à senadora que é preciso dar um jeito na dívida que aí está''.

O comentário mereceu os mais calorosos aplausos da noite.

McCain na América Latina

Enquanto os outrora rivais democratas selavam de vez a paz, o senador e provável candidato republicano à presidência, John McCain anunciava uma viagem para a América Latina.

McCain chegará a Cartagena, na Colômbia no próximo dia 1º de julho de lá, seguirá, dois dias depois, para a Cidade do México.

O republicano vem procurando frisar suas distinções com Obama, ao elogiar o Nafta (o acordo de livre comércio firmado ente Estados Unidos, Canadá e México). Durante as primárias, Obama chegou a dizer que o acordo precisava ser revisto, porque ele estaria tendo um impacto negativo para a economia americana.

McCain também manifestou forte apoio à proposta de estabelecer um tratado de livre comércio com a Colômbia, medida defendida pelo presidente George W. Bush que acabou sendo derrubada pelo Congresso, liderado pelos democratas. Obama é contrário ao acordo.

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG