Obama e Hillary, adversários nas primárias e reunidos no futuro governo dos EUA

Os ex-adversários Barack Obama e Hillary Clinton, que trocaram várias acusações durante as primárias democratas, quando ambos brigavam pela indicação do partido, vão agora trabalhar juntos no futuro governo dos Estados Unidos.

AFP |

Segunda-feira, o presidente eleito nomeou a ex-primeira-dama secretária de Estado.

Depois de semanas de enfrentamento sobre o tema da política externa, Obama e Hillary foram só elogios um para o outro.

Durante a campanha, Obama ironizou sobre a suposta experiência internacional da ex-primeira-dama, que consistia, segundo ele, em tomar chá com diplomatas americanas.

Hillary, por sua vez, chamou seu então adversário de "ingênuo" e "irresponsável", afirmando que ele precisaria de um "manual de instruções sobre política externa".

Contudo, depois da indicação de Obama como candidato democrata à Casa Branca, a senadora de Nova York modificou completamente sua posição e passou a fazer campanha para o colega de Illinois.

Durante um debate realizado há um ano, Obama admitira que Hillary era "simpática". Segunda-feira, ele a chamou de "querida amiga".

A ex-primeira-dama, por sua vez, mostrou respeito: "Senhor presidente eleito, obrigada por esta honra", declarou, antes de expressar seu pleno apoio a Obama.

Hillary Clinton chegou a sorrir quando Obama lembrou como ela fora uma adversária "difícil" durante as primárias.

"As divergências são exageradas" durante as campanhas eleitorais, comentou o presidente eleito, uma vez que significando que ele e Hillary compartilham os mesmos princípios fundamentais.

Contudo, Obama votou contra a guerra no Iraque em 2002, ao contrário da ex-primeira-dama.

Durante as primárias democratas, Hillary Clinton qualificou Obama de "ingênuo" quando ele disse que poderia conversar com os dirigentes iranianos e norte-coreanos. Agora, se estas discussões de fato acontecerem, ela é quem será encarregada de organizá-las.

Alguns analistas políticos ressaltaram que Hillary não está acostumada a ficar em segundo plano, e que poderá cair na tentação de conduzir a política externa como bem entender.

Porém, Obama não deixou pairar qualquer dúvida sobre quem tomará as decisões.

"Designei esta equipe porque acredito profundamente nas personalidades fortes, é assim que as melhores decisões são tomadas. No entanto, como presidente, eu definirei a política a seguir. Como dizia (o ex-presidente americano) Harry Truman, eu que pararei a bola", afirmou.

A nomeação de Hillary como secretária de Estado foi bem recebida, tanto nos Estados Unidos como no exterior. Entretanto, republicanos já tentaram abrir uma polêmica.

Depois de tudo que foi dito durante a campanha, "podemos nos perguntar se a senadora Clinton ainda tem as mesmas - e compreensíveis - preocupações sobre o presidente eleito e suas posições sobre as questões cruciais envolvendo nosso país", declarou o porta-voz do Comitê nacional republicano.

col/yw/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG