Obama e família se mudam para hotel em Washington

A família do presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, chegou neste domingo a Washington, já se preparando para a mudança para a Casa Branca, no final do mês. A futura primeira-dama, Michelle Obama, e as duas filhas do casal, Sasha e Malia, estão hospedadas no hotel Hay-Adams, próximo à Casa Branca.

BBC Brasil |

O presidente eleito deve se reunir com a família ainda neste domingo.

Segundo autoridades municipais de Washington, a segurança foi reforçada em torno do Hotel Hay-Adams, com proibição de estacionamento nas ruas próximas ao prédio até o dia 15.

A família de Obama deverá ocupar uma das luxuosas suítes do hotel histórico, construído em 1928, cujas diárias custam milhares de dólares.

Nesta segunda-feira, Malia, de 10 anos, e Sasha, 7, devem começar as aulas na exclusiva escola privada Sidwell Friends, que já teve em seu quadro de alunos outros filhos de políticos importantes, como Chelsea Clinton e as filhas do presidente Richard Nixon.

Residência lotada
A família Obama deverá se mudar para a residência oficial de hóspedes do governo americano, a Blair House, que tradicionalmente hospeda os presidentes eleitos antes da posse, somente no dia 15.

Segundo funcionários do governo, a Blair House está completamente lotada até o dia 15, impedindo que a família Obama antecipe sua mudança.

O novo presidente toma posse no dia 20, quando deverá se mudar com a família para a Casa Branca.

Obama e sua família voltaram a Chicago na última sexta-feira, depois de 12 dias de férias no Havaí.

Nos próximos dias, o presidente eleito deverá passar parte de seu tempo em Washington reunido com líderes do Congresso, que trabalham no pacote multimilionário de estímulo à economia americana.

Obama também foi convidado para um almoço na Casa Branca, na quarta-feira, ao lado dos ex-presidentes Bill Clinton, Jimmy Carter e George Bush (pai do presidente George W. Bush).

Polêmica
Nesta terça-feira, os novos membros do Senado farão seu juramento. No entanto, a nova sessão do Congresso americano será aberta em meio à polêmica em torno do substituto de Obama no Senado.

O governador de Illinois, Rod Blagojevich, indicou na semana passada o ex-procurador-geral do Estado Roland Burris para assumir a vaga deixada por Obama no Senado.

No entanto, Blagojevich é alvo de uma investigação criminal sob a acusação de ter tentado "vender" a vaga de Obama.

Blagojevich nega qualquer irregularidade e tem resistido a pressões para deixar o governo do Estado.

Os integrantes da bancada democrata no Senado, porém, afirmam que, apesar de não haver dúvidas a respeito da integridade de Burris, irão rejeitar qualquer nome indicado por Blagojevich.

Obama disse concordar que o Senado não pode aceitar um novo senador indicado pelo governador e afirmou que Blagojevich deveria renunciar ao cargo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG