Washington - presidente eleito Barack Obama e os líderes democratas do Senado americano preparam hoje o caminho para que Roland Burris assuma a cadeira de Illinois, deixada vaga pelo futuro chefe de Estado após vencer as eleições de novembro.

O acordo de Obama para que o controvertido legislador chegue à câmara alta foi divulgado pelo diretor de comunicações da equipe de transição, Dan Pfeiffer.

O presidente eleito, que assume o cargo no próximo dia 20, "espera trabalhar com o senador Burris e o resto do Senado dos EUA para reconstruir nossa economia e enfrentar os grandes desafios de nosso tempo", disse Pfeiffer em uma declaração.

A oposição a Burris surgiu quando ele foi designado para substituir Obama pelo governador de Illinois, Rod Blagojevich, acusado em dezembro passado de exigir dinheiro pela nomeação.

"As novas credenciais apresentadas hoje a favor do senhor Burris agora satisfazem os regulamentos do Senado e validam sua nomeação à cadeira vaga de Illinois", disse a secretária do Senado, Nancy Erickson.

Burris, um ex-procurador-geral de Illinois, tranqüilizou seus detratores, depois de dar um testemunho perante uma comissão da legislatura estatal que promoveu o impeachment contra o governador.

O líder da maioria democrata do Senado, e o número dois na câmara alta, Harry Reid e Dick Durbin, disseram em comunicado conjunto que, superado o empecilho legal, Burris, de 71 anos, foi aceito pelo Senado.

"Falamos com Burris para que soubesse que é agora o senador eleito de Illinois e, como tal, gozará de todos os direitos e privilégios" que lhe confere o cargo, afirmaram os senadores.

Ao conhecer a decisão dos senadores, Burris disse que se sentia "humildemente honrado".

Os democratas, entre eles Obama, inicialmente tinham se oposto a que Burris assumisse o cargo enquanto não se resolvesse o caso legal contra Blagojevich.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.