Obama diz que visita à Europa produziu resultados inéditos

ESTRASBURGO, França (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou sábado que sua visita à Europa resultou em um progresso real e inédito no tratamento das crises que seu país enfrenta, desde o derretimento econômico global à guerra no Afeganistão. Obama, que compareceu à cúpula do G20 em Londres e agora participa de uma reunião da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) organizada por Alemanha e França, disse em seu programa semanal de rádio que o encontro na Inglaterra ajudou a conceber uma coordenação global para reerguer as economias mundiais da recessão.

Reuters |

"Após dois dias de negociações cuidadosas, as nações do G20 concordaram com uma série de passos inéditos, que acredito ser um divisor de águas em nossa busca por uma recuperação econômica global", disse ele, referindo-se ao grupo de países desenvolvidos e nações emergentes.

"Todos nós estamos lutando para fazer nossos bancos voltarem a oferecer crédito. Todos nós trabalhamos para incentivar o crescimento e criar empregos. E todos nós concordamos com a mais abrangente reforma de nosso marco regulatório financeiro em uma geração", completou.

Ele afirmou, ainda, que seus encontros com os líderes da Rússia e da China assentaram as bases para relações construtivas sobre questões de importância mútua, "sendo francos um com o outro sobre os pontos em que discordamos."

Obama contou que suas conversas com o presidente chinês, Hu Jintao, produziram um diálogo estratégico e econômico, enquanto seu encontro com o mandatário russo, Dmitri Medvedev, colocou os dois países no rumo de um novo tratado para reduzir seus arsenais nucleares.

O americano disse que planeja definir ações "para resguardar o material nuclear espalhado pelo mundo e interromper a disseminação dessas armas fatais" no domingo, quando deve comparecer a uma cúpula da União Europeia em Praga.

Durante o encontro da Otan, Obama disse ter solicitado aos seus aliados maior apoio civil e assistência para os esforços da coalizão no Afeganistão, dizendo que todas as nações têm parte no sucesso na missão.

"Embora tenhamos trabalhamos esta semana para encontrar um consenso e fortalecer nossas alianças, não resolvemos todos os nossos problema", disse Obama. "Mas obtivemos um progresso real e inédito e vamos continuar a fazê-lo nos próximos meses."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG