Obama diz que terrorista líbio devia cumprir prisão domiciliar

O presidente Barack Obama afirmou nesta quinta-feira que a libertação por parte das autoridades escocesas do líbio responsável pelo ataque contra um avião da Panam em Lockerbie, em 1988, foi um erro e que ele deveria cumprir prisão domiciliar.

AFP |

"Entramos em contato com o governo escocês indicando nossa objeção e que consideramos a decisão um erro", afirmou Obama, em sua primeira reação à notícia.

"Estamos agora em contato com o governo líbio e queremos ter certeza que, se, de fato, essa transferência ocorreu, ele não seja bem-vindo e, ao invés disso, seja colocado sob prisão domiciliar".

A Escócia anunciou nesta quinta-feira a decisão de, por razões humanitárias, libertar o líbio Abdelbaset Ali Mohamed al Megrahi, único condenado pelo atentado de Lockerbie, a maior tragédia terrorista da história da Grã-Bretanha.

Depois da decisão, o réu, detido há oito anos no presídio escocês de Greenock, foi levado para o aeroporto da vizinha Glasgow para embarcar em um avião para a Líbia.

Os Estados Unidos, que pressionaram nos últimos dias para que Megrahi permanecesse entre as grades, afirmaram numa primeira reação lamentar profundamente a decisão escocesa.

O líbio, de 57 anos e vítima de um câncer terminal, cumpria desde 2001 uma sentença de prisão perpétua - com obrigação mínima de 27 anos - pelo atentado contra o voo 103 da Pan American World Airways que percorria o trajeto entre Londres e Nova York e que explodiu quando sobrevoava a cidade escocesa de Lockerbie em 1988, matando 270 pessoas.

Leia mais sobre: Atentado de Lockerbie

    Leia tudo sobre: atentadocrimesterrorismo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG