Washington, 5 jan (EFE).- O presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou hoje que recebe atualizações diárias sobre a situação em Gaza, mas insistiu em que não quer se pronunciar porque só pode haver um presidente de cada vez.

Depois de se reunir com líderes do Congresso, Obama indicou aos jornalistas que "não pode haver duas vozes que falem pelos Estados Unidos" em questões de política externa, especialmente por causa das "delicadas negociações" que estão acontecendo.

O silêncio do presidente eleito sobre a situação em Gaza foi recebido com críticas no mundo árabe, onde crescem os pedidos para que Obama se pronuncie.

O ministro de Exteriores da Autoridade Nacional Palestina, Riyad al-Maliki, expressou hoje sua "decepção" pelo silêncio de Obama, e declarou que confia "em que divulgue uma declaração firme o mais rápido possível".

A ofensiva que Israel lançou em 27 de dezembro causou a morte de pelo menos 530 palestinos, e deixou outros 2.600 feridos.

Do lado israelense, três civis e dois militares morreram e cerca de 50 ficaram feridos pelos foguetes disparados de Gaza. EFE mv/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.