Bogotá, 22 set (EFE).- O candidato democrata à Presidência dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou hoje que não apoiará um Tratado de Livre-Comércio (TLC) com a Colômbia enquanto continuar a impunidade e os assassinatos de sindicalistas no país.

Em entrevista exclusiva para a "Radio Caracol", o candidato à Casa Branca afirmou que o líder colombiano, Álvaro Uribe, trabalhou duro para reduzir a violência e o narcotráfico.

"Tive uma boa conversa com o presidente Uribe e acho que ele esteve trabalhando de forma dura em seu país para reduzir a violência e o tráfico de drogas na Colômbia, mas como lhe disse temos que garantir que os direitos dos trabalhadores sejam protegidos e ainda falta muito trabalho a fazer", declarou.

"Muitos lideres sindicais foram assassinados ou desapareceram. O presidente Uribe se comprometeu a melhorar a situação, mas não me sinto à vontade que um projeto de TLC avance até não ter uma segurança de que os direitos dos trabalhadores deste país vão ser protegidos", acrescentou.

O candidato democrata argumentou que ele vota a favor do TLC com o Peru, que "é parecido ao da Colômbia", pois não tinha os mesmos problemas "em relação à violência contra os trabalhadores", acrescentou.

Uribe conversou por telefone com Obama antes de viajar para Washington e Nova York, onde atua em busca da ratificação do TLC assinado entre seu país e os EUA em 2006. EFE fer/fal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.