Obama diz que Governo servirá de exemplo na redução da poluição

Washington, 29 jan (EFE).- O presidente de EUA, Barack Obama, disse hoje que o Governo reduzirá suas emissões de gases do efeito estufa em 28% em 2020, servindo de exemplo ao desenvolvimento de uma economia verde.

EFE |

"Como o maior consumidor de energia nos Estados Unidos, temos uma responsabilidade com os cidadãos americanos de reduzir nosso consumo de energia e sermos mais eficientes", disse Obama em comunicado divulgado pela Casa Branca.

"Nossa meta é reduzir os custos e a poluição, e canalizar as despesas de energia do Governo federal, passando do petróleo para a energia limpa", acrescentou o líder americano.

A nota indicou que, sob só ordem executiva assinada por Obama em outubro de 2009, as ações do Governo contra a poluição ambiental ajudarão a aumentar, por exemplo, os investimentos de 'energia limpa', a criação de empregos, economias no longo prazo, e a inovação no campo energético.

A Administração é o maior consumidor de energia na economia americana. Em 2008, o gasto chegou a US$ 24,5 bilhões em combustível e eletricidade, conforme a Casa Branca.

As medidas que serão tomadas pelo Governo contra a emissão de gases tóxicos reduzirão drasticamente seu consumo de energia, em um número equivalente a 205 milhões de barris de petróleo. Essa quantia equivaleria a eliminar das estradas 17 milhões de veículos pelo período de um ano.

Explicou que as agências e departamentos do Governo federal conseguiram reduzir a poluição com gases tóxicos por meio de uma série de ações, começando pela medição do consumo atual de energia, a promoção da eficiência energética e o uso de fontes de energia solar, eólica e geotérmica.

Segundo a Casa Branca, as agências estão adotando medidas para alcançar a meta de 2020, entre estas a instalação de painéis solares em bases militares, o uso de lixões como fonte de energia renovável, melhorias nos sistemas elétricos em prédios públicos e a substituição de veículos velhos por modelos híbridos mais eficientes no uso de combustível. EFE mp/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG