Obama diz que futuro de presos de Guantánamo é um de seus maiores problemas

Washington, 24 mai (EFE).- O presidente americano, Barack Obama, reconheceu que a situação de alguns prisioneiros da base aérea dos Estados Unidos em Guantánamo, em Cuba, é um dos maiores problemas de sua Administração.

EFE |

Em uma entrevista à rede de televisão "C-SPAN" transmitida neste final de semana, Obama afirmou que os trâmites para o fechamento de Guantánamo e a determinação do futuro dos presos não vai ser fácil.

Segundo o presidente americano, há na prisão da base em Cuba "muitas pessoas que deveriam ter sido julgadas antes", mas por outro lado lembrou que "há presos que podem ser perigosos" e que, por isso, não podem ser soltos.

Obama considerou que as políticas de detenção indeterminada em Guantánamo propostas pelo Governo do ex-presidente americano George W. Bush foram um erro e disse que a situação requer um esforço entre republicanos e democratas para criar um marco legal e institucional sob o qual os presos possam ser julgados.

"Tenho certeza de que somos mais fortes quando respeitamos nossos princípios e de que somos mais fracos quando os deixamos de lado", assegurou.

Em 22 de janeiro deste ano, dois dias depois de assumir a Presidência dos EUA, Obama assinou uma ordem executiva para o fechamento da prisão de Guantánamo em até um ano. Atualmente, lá se encontram 250 presos, todos detidos por suposta ligação com o terrorismo internacional. EFE elv/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG