Obama diz que EUA sairão fortalecidos do fechamento de Guantánamo

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse nesta segunda-feira na televisão que sua decisão de fechar o centro de detenção de supostos terroristas em Guantánamo aumenta a segurança do país e mostra que a nação respeita as garantias legais.

EFE |

Durante sua campanha eleitoral, Obama prometeu que fecharia a prisão na base naval americana de Guantánamo (Cuba) e, pouco após sua posse, pediu aos juízes militares que suspendessem por 120 dias os processos de vários detidos.

Os Estados Unidos detiveram centenas de homens, capturados desde o começo de sua "guerra contra o terrorismo" em 2001, nesse posto militar, sem julgamento nem recursos legais e, na maioria dos casos, sem acusações específicas.

Em entrevista divulgada esta manhã pelo programa "Today" da rede "NBC" de televisão, Obama disse que sua decisão de fechar a prisão de Guantánamo busca "equilibrar o que protege o povo americano" e os direitos garantidos pela Constituição dos EUA.

Obama acrescentou que confia em que a comunidade internacional cooperará nesse fechamento e haverá países que aceitarão alguns dos aproximadamente 225 homens que ainda permanecem em Guantánamo.

Leia mais sobre Obama

    Leia tudo sobre: obama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG