Washington, 2 abr (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou hoje que, sem a reforma no sistema de saúde, o país estaria caminhando para a quebra.

"Não penso no curto prazo baseado em pesquisas diárias. Vejo o que o país precisa no longo prazo", argumentou Obama em uma entrevista para a rede de televisão "CBS".

Uma pesquisa publicada no último final de semana pelo jornal "Washington Post" aponta que 46% dos americanos apoiam a reforma, enquanto 50% a rejeitam. O levantamento também mostra que 53% avaliam positivamente a gestão de Obama.

"O que sabemos é que as gratificações dos seguros de saúde aumentaram em 30% ou 40% para aquelas pessoas que não trabalham para grandes companhias. Pequenas empresas se veem obrigadas a fechar seus negócios e os custos do Medicare e do Medicaid (seguros médicos para pobres e aposentados) são insustentáveis", afirmou.

Por isso, explicou Obama, quis mudar o sistema de saúde porque, caso contrário, "este país iria quebrar".

A reforma, que amplia a cobertura médica para 32 milhões de americanos até 2019, pretende reduzir os custos da assistência médica e impõe mais exigências às seguradoras.

"Era o apropriado" a fazer, afirmou Obama. EFE cae/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.